Jornal do Brasil

Domingo, 18 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Internacional

Washington encontra 'inovação radical' para enfrentar mísseis de Pyongyang

Sputnik

Washington propõe investir milhões de dólares em duas novas abordagens para combater a ameaça da Coreia do Norte.

A administração Trump preconiza desenvolver novas abordagens para lidar com Pyongyang, escreve o jornal The New York Times. De acordo com os dados do jornal, a mais recente estratégia responde à preocupação de que "o sistema de defesa antimíssil projetado para proteger as cidades norte-americanas não seja suficiente para impedir um ataque norte-coreano".

Na semana passada, a Casa Branca enviou ao Congresso uma solicitação de emergência de 440 milhões de dólares (R$ 1,4 bilhão) destinados a enfrentar a Coreia do Norte.

O pedido refere-se, em primeiro lugar, ao "uso intensificado" de armas cibernéticas "para interferir nos sistemas de controle norte-coreanos antes do lançamento de mísseis".

O jornal destaca que "o uso de armas cibernéticas para interromper os lançamentos é uma inovação radical na defesa antimísseis nas últimas três décadas", mas assinala que tal estratégia seria muito complexa no caso da Coreia do Norte, "um país que tem acesso limitado à Internet e tem poucas conexões com o mundo exterior".

Em segundo lugar, preconiza-se derrubar os mísseis segundos depois do lançamento, quando ainda estão em "fase de impulsionamento" e são, portanto, alvos "que se movem devagar, sendo altamente visíveis". Para isso, serão empregues drones e aviões de combate. No entanto, acrescenta-se que as novas medidas ainda estão em fase experimental.

Militares, cientistas e congressistas, escreve o jornal, descreveram recentemente esse "esforço acelerado de criação e elaboração de novos métodos como resposta ao inesperado progresso que a Coreia do Norte tem conseguido" no desenvolvimento de mísseis balísticos intercontinentais.

>> Sputnik

Tags: armas cibernéticas, coreia do norte, defesa, eua, mísseis

Compartilhe: