Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Internacional

Trump Jr. trocou mensagens com Wikileaks durante campanha presidencial, revela publicação

Sputnik

O filho mais velho do presidente dos EUA, Donald Trump Jr., comunicou-se com uma conta do Wikileaks no Twitter durante a campanha do ano passado, informou a The Atlantic em reportagem publicada na noite dessa segunda (13).

De acordo com a revista, Trump Jr. discutiu o vazamento de e-mails de Hillary Clinton por meio de mensagem direta (DM) com uma conta ligada ao portal de vazamento de documentos secretos. A reportagem traz exemplos de informações trocadas que incluem pedidos para exclusão de mensagens relacionadas ao trabalho do site.

Em troca, a Wikileaks teria pedido que Trump pai intervisse junto à Austrália para que o fundador do portal, Julian Assange, fosse nomeado embaixador australiano em Washington. 

Embora não tenha respondido a todas as mensagens da Wikileaks, Trump Jr. usou pistas da organização para ajudar politicamente o pai como quando foi avisado do vazamento dos e-mails do chefe de campanha de Clinton, John Podesta. 15 minutos depois de ter recebido a notificação, o então candidato Donald Trump reagiu no Twitter comentando o vazamento: “Muito pouco acompanhamento pela imprensa desonesta da incrível informação divulgada pelo Wikileaks. Tão desonesta! Sistema corrupto”.

O Wikileaks também solicitou a Trump Jr. a declaração de imposto de renda de Donald Trump, afirmando que isso ajudaria a reforçar a imparcialidade do site diante de acusações que agia sob influência de Moscou. O pedido, porém, foi ignorado.

Resposta

Pressionado pela repercussão da reportagem, Trump Jr. foi ao Twitter publicar a suposta íntegra das mensagens trocadas com o portal. "Aqui está toda troca de mensagens com o Wikileaks (com minhas 3 respostas gritantes) que um dos comitês do Congresso optou por vazamento seletivo. Quão irônico!", escreveu.

Democratas reagiram à reportagem dizendo que Trump Jr. devia fornecer mais informações sobre as acusações da publicação. O congressista democrata Richard Blumenthal disse que o Comitê Judiciário do Senado deve solicitar documentos e forçar Trump Jr. a testemunhar.

Tags: comitê judiciário do senado dos eua, democratas, donald trump, donald trump jr, eleições dos eua 2016, estados unidos, hillary clinton, john podesta, julian assange, moscou, richard blumenthal, rússia, vazamento, wikileaks

Compartilhe: