Jornal do Brasil

Sábado, 18 de Novembro de 2017

Internacional

Como é que exército russo se prepara para as guerras do futuro?

Sputnik

Com o desenvolvimento técnico apareceu o novo conceito de Guerras Centradas em Rede. A Rússia está reforçando as suas Forças Armadas com base neste conceito.

No dia 20 de outubro os militares russos celebraram o Dia do Soldado do Serviço de Telecomunicações. Hoje em dia, os militares russos utilizam redes secretas, satélites e drones não tripulados. É a nova teoria da Guerra Centrada em Rede (GCR) posta em prática. 

Redes militares únicas 

Foi o Pentágono quem primeiro utilizou o conceito de GCR. De acordo com ele, todo o comando e todas as subdivisões devem estar ligados por uma rede única de informação, utilizada para comunicações e entrega de informações sobre o inimigo. Este conceito foi elaborado para aumentar as capacidades militares através da supremacia informacional.

A Rússia adotou um conceito semelhante. O Ministério da Defesa pretende unificar ao máximo todas as possibilidades de todas as armas e material bélico, bem como os soldados. A Força Aeroespacial e a Marinha russa podem ser consideradas como as mais avançadas neste sentido. 

O novo conceito já mostrou a sua eficiência na Síria, onde a capacidade do Exército russo foi reforçada por conta da existência de uma rede militar unida. 

De acordo com o senador russo Frants Klintsevich, os soldados da infantaria enviam os dados imediatamente para a Aviação utilizando o novo equipamento Ratnik, que está ligado com os meios de reconhecimento e é dotado de um computador que baixa todos os dados de reconhecimento. 

Praticamente todo o equipamento militar russo, incluindo os veículos de infantaria Kurganets-25,os blindados Bumerang e Taifun e os tanques Armata, é dotado de sistemas especiais que permitem observar toda a situação tática no campo de batalha.

Isso permite a interligação da tripulação com os postos de comando e outras unidades ligadas entre si por uma rede única.

Aspecto técnico

"A vantagem em combate é ganha em resultado das possibilidades informacionais, e não da superioridade quantitativa ou de poder de fogo", diz o especialista Vasily Borisov.

No centro das Guerras Centradas em Redes estão os sistemas mais avançados de tratamento de grande quantidade de informação mesmo em condições de combate e de interferências inimigas. 

Por exemplo, a empresa Roselektronika está desenvolvendo um sistema especial que vai permitir maior velocidade da Internet – 1024 kb/s. Outro exemplo é o sistema especial de navegação para o caça russo da quinta geração T-50, que permite a integração do avião com os satélites.

Defesa contra ataques de hackers 

Infelizmente, o ponto fraco de muitos sistemas de informações que funcionam hoje em dia é a sua vulnerabilidade a hackers ou interferências. 

Para privar o inimigo da possibilidade de hackear o sistema ou impedir o seu funcionamento, os engenheiros russos estão elaborando complexos mecanismos de defesa. 

Já foram desenvolvidas  "eclusas" especiais que defendem o acesso aos canais de informação para que o inimigo não possa intervir. A informação é sempre monitorada e controlada, fica sempre protegida. 

>> Sputnik

Tags: bndes, economia, interncaional, le pen, merkel, putin, santander, trump

Compartilhe: