Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

Internacional

Após acusar diretor de estupro, Asia Argento deixa Itália

Atriz informou que passará um tempo afastada de seu país natal

Agência ANSA

Após denunciar que também foi uma das vítimas de abusos sexuais cometidos pelo diretor Harvey Weinstein, a atriz italiana Asia Argento decidiu sair do país. "Voltarei para a Itália de férias. Não vou embora agora, precisarei de algum tempo para me organizar, mas não consigo enxergar o que estou fazendo na Itália neste momento. Voltarei quando as coisas melhorarem para lutar as batalhas com todas as outras mulheres", disse a artista, em uma entrevista em Berlim, na Alemanha. 

Argento, de 42 anos, confessou que está na capital alemã justamente para evitar as polêmicas. "Estou em Berlim porque precisei me afastar da Itália, onde o clima de tensão é bem pesado contra mim e minha família. Precisava respirar."   

Apesar das polêmicas, a atriz negou que se arrependa de ter sido uma das primeiras artistas a denunciar Weinstein. "Sentam ao meu lado milhares de pessoas e não me sinto mais sozinha nas minhas batalhas, sinto-me uma mulher finalmente livre".    

A atriz contou que passou décadas "sem coragem de denunciar os abusos", mas que sua filha de 16 anos virou inspiração para ela vir a público e relatar os crimes. "Tenho a esperança de poder mudar o mundo para as nossas filhas, para que não tenham mais medo, não devam mais escapar".    

Asia Argento falou sobre os abusos sexuais de Weinstein em uma entrevista ao jornal "The New York Times", junto com outras artistas, como Angelina Jolie. Segundo ela, o produtor a obrigou a fazer sexo oral nele, em um hotel na Costa Azul, na França, em 1997.    

Mas, no Twitter, Asia Argento também acusou um diretor americano de tê-la estuprado quando tinha 26 anos de idade, sem revelar a identidade do agressor. 

Tags: abuso, cinema, família, país, residência, sexual

Compartilhe: