Jornal do Brasil

Domingo, 19 de Novembro de 2017

Internacional

Justiça pede a Trump documentos sobre acusações de assédio

Ex-participante de reality diz que presidente tentou molestá-la

Agência ANSA

Uma mulher que acusa o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de assédio sexual pediu que ele entregue à Justiça toda a documentação relativa a seu caso e ao de outras pessoas que dizem ter sido vítimas do mandatário.

A autora da ação é Summer Zervos, uma ex-participante do programa "The Apprentice" ("O Aprendiz"), reality show apresentado por Trump durante 14 anos, que acusou o magnata de a tocar e beijar "por todos os lados" durante um encontro de trabalho em 2007.

Zervos move um processo por difamação contra Trump e, durante uma audiência, pediu em juízo para o presidente entregar notas, fotos, gravações de áudio, mensagens de texto, recibos e qualquer outro tipo de dado relacionado à denúncia de assédio sexual.

Segundo Zervos, o presidente deu "declarações falsas e difamatórias" após ela tê-lo acusado publicamente. A audiência em questão ocorreu em março de 2017, mas chegou à imprensa apenas agora, em meio ao escândalo dos abusos cometidos pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

Trump tem até 31 de outubro para entregar os documentos, inclusive aqueles relativos a qualquer outra pessoa que o tenha acusado de assédio. Durante a campanha eleitoral do ano passado, diversas mulheres denunciaram supostos assédios cometidos pelo republicano, que também foi gravado em um vídeo de 2005 dizendo que é possível fazer qualquer coisa com elas "quando se é famoso".

Em uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (16), Trump afirmou que as acusações de assédio contra ele são "notícias falsas". "Tudo inventado, e é vergonhoso que isso aconteça", declarou.

Tags: assedio, eua, internacional, justiça, trump

Compartilhe: