Jornal do Brasil

Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

Internacional

Polícia da Itália confirma 1ª morte por terremoto em Ischia

Agência ANSA

Um terremoto de magnitude 3.6 na escala Richter sacudiu na noite desta segunda-feira (21) a ilha de Ischia, situada na região metropolitana de Nápoles, sul da Itália, e matou pelo menos uma pessoa.

Segundo policiais, a vítima é uma idosa atingida por destroços caídos da igreja de Santa Maria del Suffragio, em Casamicciola Terme, a cidade mais afetada pelo tremor.

O sismo ocorreu às 20h57 (horário local) e fez moradores e turistas correrem para as ruas. O terremoto foi percebido em diversos pontos da ilha, um famoso balneário que atrai milhares de visitantes todos os anos - a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, é presença frequente em Ischia.

Em Casamicciola Terme, na parte setentrional da ilha, foram registrados danos em vários imóveis, incluindo uma igreja e algumas casas que desabaram, além de diversos feridos.

Já na vizinha Lacco Ameno, um hospital teve de ser quase totalmente evacuado por causa das rachaduras causadas pelo terremoto - apenas cinco pacientes intubados foram mantidos na estrutura.

"Vi rachaduras ao longo de uma parede do hotel onde estamos. No momento do tremor, saímos correndo para a rua. Senti muito medo", contou à ANSA um italiano que passa férias em Lacco Ameno. "O terremoto foi breve, mas intenso", acrescentou.

A ilha já foi palco de um forte sismo que deixou mais 2 mil mortos em 28 de julho de 1883, destruindo Casamicciola Terme.

Além disso, em 1980, um tremor de 6.5 matou quase 3 mil pessoas na região de Irpinia, a 150 quilômetros de distância da ilha.

Atividade intensa - Ao longo do dia, outras zonas da Itália sentiram pequenos terremotos, o mais forte deles, de magnitude 2.9 na escala Richter, na província de Perúgia, capital da Úmbria, centro da península - essa é a mesma área que vem sofrendo com uma sequência sísmica desde 24 de agosto de 2016.

Também na Itália Central, em Arquata del Tronto, cidade que teve um distrito devastado pelo tremor de um ano atrás, foi registrado um sismo de 2.3 às 5h37 (horário local). Mais para o norte, moradores da região metropolitana de Florença, na Toscana, se assustaram de madrugada com um terremoto de 2.3.

Nenhum desses eventos provocou perdas humanas ou danos em infraestrutura. Tremores de terra são frequentes na Itália, país situado sobre as placas tectônicas eurasiática e africana, que se chocam constantemente.

Essa intensa atividade sísmica provocou uma sequência no centro da península que já dura um ano e deixou pelo menos 333 mortos, além de ter causado mais de 20 bilhões de euros em danos.

Tags: agencia, ansa, europa, internacional, italia

Compartilhe: