Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Internacional

Líder da KKK que queria queimar jornalista diz que 'cérebro de negros não se desenvolveu'

Sputnik

Líder do grupo supremacista branco Ku Klux Klan, Chris Barker voltou a chocar com o seu ódio racial contra negros e minorias, poucos dias após afirmar ter a intenção de queimar uma jornalista negra que o entrevistava em sua propriedade.

Em entrevista à Rádio W, Barker afirmou que "as pessoas da raça negra seguem sendo selvagens cujos cérebros não se desenvolveram" e que "Deus os amaldiçoou para que sejam serviçais e escravos".

Questionado sobre as minorias sexuais, Barker não titubeou em suas opiniões e declarou que "a homossexualidade não é uma condição natural". "Os gays devem morrer e por isso Deus inventou a Aids", continuou o supremacista branco.

No último dia 24 de julho, Barker concedeu entrevista à jornalista Ilia Calderón, da rede Univision. Descendente de colombianos e negra, a profissional foi hostilizada pelo líder da KKK ao longo de toda a entrevista, que teve até mesmo ameaças proferidas pelo supremacista.

"Eu vou queimar você", afirmou Barker à jornalista, após dizer que ela deveria voltar ao seu país.

Embora tenha sido feita semanas antes dos episódios de violência e racismo em Charlottesville, no estado americano da Virginia, a entrevista expôs de maneira ainda mais latente o pensamento dos grupos supremacistas e neonazistas norte-americanos.

Pelo menos uma pessoa morreu e outras 19 ficaram feridas durante os confrontos em Charlottesville. Diante do caos instalado há uma semana na cidade, o presidente estadunidense Donald Trump fez três pronunciamentos, e em apenas um deles condenou nominalmente os grupos supremacistas e neonazistas. Tal postura gerou críticas até mesmo entre aliados do Partido Republicano.

Sputnik

Tags: agencia, estados, internacional, sputnik, unidos

Compartilhe: