Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

Internacional

Governo sírio pediu à ONU que investigasse ataque químico

Assad afirma que ato foi fabricado para justificar ação dos EUA

Agência ANSA

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, afirmou que seu governo enviou uma carta à Organização das Nações Unidas (ONU) solicitando o envio de uma equipe de especialistas para investigar o ataque químico ocorrido na província de Idlib no dia 4 de abril.    

A informação foi revelada pelo próprio presidente em entrevista à agência de notícias russa Sputnik nesta quinta-feira (20).    

"Nós enviamos formalmente uma carta para as Nações Unidas.Nós pedimos para eles na carta para enviar uma delegação para investigar o que aconteceu em Khan Shaykhun", disse Assad à agência.    

Segundo o mandatário, até o momento "obviamente" eles não mandaram ninguém "porque o Ocidente e os Estados Unidos bloquearam qualquer delegação de vir porque, se eles vierem, vão descobrir que todas as histórias que contaram sobre o que aconteceu em Khan Shaykhun [...] foi uma mentira".    

Assad diz que o Ocidente usou o "falso ataque" como uma justificativa para o bombardeamento feito pelos Estados Unidos contra a base militar de Shairat. De acordo com o presidente, seu país não tem mais nenhum armamento químico e não fez nenhuma movimentação militar na área atingida no horário do suposto ataque.    

O governo sírio, que já foi acusado de inúmeros ataques químicos contra a população, sempre negou que tenha matado as mais de 80 pessoas na província de Idlib e que foram os rebeldes quem realizaram a ação.

Tags: agência, ansa, internacional, onu, síria

Compartilhe: