Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Internacional

Ex-primeira-dama da França faz confissões chocantes

Revista adianta trechos do livro de Valerie Trierweiler

Agência ANSA

Trechos das confissões chocantes da ex-primeira-dama francesa, Valerie Trierweiler, sobre sua relação com o presidente da França, Fraçois Hollande, presentes no livro escrito por ela, foram publicadas nesta quarta-feira (3) pela imprensa do país, um dia antes do lançamento de "Merci pour ce moment" ("Obrigada por este momento", em tradução livre).

    Como não poderia faltar, o livro traz relatos de quando a ex-primeira-dama descobriu a relação extraconjugal de seu marido com a atriz Julie Gayet, motivo da separação do casal e de sua saída do Eliseu, residência presidencial.

    "A notícia de Julie Gayet é a manchete dos noticiários da manhã.

    Eu desmorono, não consigo ouvir, caio no banheiro. Agarro o saquinho de plástico com os calmantes... François me segue e tenta arrancar o saquinho", este é um dos trechos do livro que retrata o momento quando Trierweiler soube do caso de amor de Hollande publicado hoje pela revista Paris Match.

    Trierweiler também destaca o assedio de Hollande e sua intenção de reatar a relação. "Me manda mensagens de amor. Escreve que sou toda dele, que não pode fazer nada sem mim", segundo ela o presidente francês lhe envia "até 29 sms por dia".

    "Quer voltar comigo a qualquer preço. Fala que precisa de mim, toda noite me convida para jantar", conta a jornalista no livro.

    Quando as mensagens se intensificaram a ex-primeira-dama conta que começou a se perguntar "será que ele acredita no que escreve? Ou sou o último desejo de um homem que não suporta perder".

    "Fala que vai me reconquistar como se eu fosse uma eleição", escreve ela sobre a tentativa de Hollande de reatar a relação.

    Segundo a editora-chefe da Paris Match, Catherine Schwaab, que leu o livro, "entre um encontro com [Barack] Obama e outro com [Vladimir] Putin, o presidente lhe manda sms freneticamente, encontra tempo de mandar flores para o seu quarto de hotel sem que ela [Valerie] tenha lhe comunicado onde teria se hospedado".

    Trierweiler revela que Hollande gosta de dizer que "não ama os ricos. Mas na verdade não ama os pobres". A jornalista conta que durante um almoço em família, Hollande destacou as origens modestas da família Trierweiler. "Um tapa", conta ela, acrescentando que "se apresentou como o homem que não ama os ricos. Mas na verdade o presidente não ama os pobres. Ele, homem da gauche, na intimidade os chama de 'desdentados'".

    Por sua vez, François Hollande está "atordoado" com a publicação do livro da ex-mulher, afirmou um de seus colaboradores mais próximos, citado pelo jornal Le Parisien.

    Na sede da presidência francesa confirmam que ninguém sabia de nada. As primeiras pessoas que leram as notícias no jornal estão falando de um livro "devastador" destinado a fazer "o Eliseu tremer". O lançamento do livro está marcado para amanhã (4) na França.(ANSA)

Tags: França, hollande, livro, revista, Traição

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.