Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Internacional

EUA pedem que Rússia 'pare de provocar' Kiev

Russos aumentaram atividades militares nas fronteiras

Agência ANSA

Os Estados Unidos pediram para os russos pararem com as "provocações" na Ucrânia, denunciando um aumento de atividades russas para desestabilizar o governo de Kiev nas últimas semanas. Segundo a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hayden, essas atitudes são "extremamente perigosas e provocatórias".    

"A Rússia não tem nenhum direito de enviar para a Ucrânia veículos, pessoas ou materiais de qualquer tipo, com qualquer pretexto, sem ter a autorização do governo ucraniano", disse Hayden se referindo ao comboio de ajuda humanitária que Moscou está enviando para as regiões de Donetsk e Lugansk.    

Se o presidente russo, Vladimir Putin, quer terminar o conflito, como está empenhado em fazer, "pode começar a parar com os bombardeamentos de artilharia russa na Ucrânia, parar com o fornecimento de armas, o apoio aos separatistas e o seu financiamento", falou Halley.    

E, corroborando com a tese do governo ucraniano de que a ajuda humanitária é um pretexto para uma invasão russa no país, o novo primeiro-ministro da autoproclamada República de Donetsk, Aleksander Zakharcenko, anunciou a chegada de mais 150 veículos blindados, entre os quais 30 são armados, e 1,2 mil homens treinados por quatro meses na Rússia. Porém, o governo russo negou essa informação.    

A ofensiva de Kiev nas regiões separatistas segue no nível máximo e, o porta-voz do Conselho de Segurança do país, Andrii Lisenko, anunciou que três soldados ucranianos foram mortos e outros 13 ficaram feridos nas últimas 24 horas.    Já o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, anunciou que seus militares conquistaram mais uma cidade próxima à Donetsk, Zhdanivka. 

Tags: Estados Unidos, kiev, ofensiva, russia, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.