Jornal do Brasil

Domingo, 26 de Outubro de 2014

Internacional

Venezuela confisca 28 toneladas de alimentos ao fechar fronteira com Colômbia

Agência Brasil

Autoridades venezuelanas anunciaram hoje (13) que confiscaram 28 toneladas de alimentos e 1,5 mil litros de combustível na primeira noite de fechamento da fronteira com a Colômbia.

A Venezuela enviou, na última segunda-feira (11), pelo menos 17 mil militares para a fronteira com a Colômbia, como uma de várias medidas para combater o contrabando de produtos básicos e de combustível que gera perdas monetárias em ambos os países.

O fechamento deve ser mantido por 30 dias, durante o período da noite, entre 22h e 5h (horário local).

Segundo o governador do estado venezuelano de Táchira (na fronteira com a Colômbia), Vielma Mora, entre os produtos confiscados está óleo alimentar, carne de vaca, frango, açúcar, ovos, arroz, açúcar, farinha, massa, manteiga, produtos de limpeza e higiene pessoal, que vão ser distribuídos em instituições beneficentes, hospitais e em ações de solidariedade.

"Está comprovado que as grandes quantidades de mercadorias de contrabando passam durante a noite pela fronteira", frisou.

Segundo o governo venezuelano, o fechamento da fronteira foi decidido pelos presidentes dos dois países - o venezuelano Nicolás Maduro e o colombiano Juan Manuel Santos, durante a reunião no dia 1º de agosto, na cidade de Cartagena, na Colômbia, que debateu a questão do contrabando.

Na ocasião, os dois dirigentes concordaram em lutar contra o contrabando e em criar centros de comando e de controle compartilhados ao longo dos mais de 2,2 mil quilômetros de fronteira comum.

Com as maiores reservas de petróleo do mundo, a Venezuela é o país com a gasolina mais barata. Em Caracas, 1 litro de gasolina custa o equivalente a US$ 0,02 (0,014 euros) e, na Colômbia, US$ 1,18 (0,88 euros).

Desde o início de 2014, foram apreendidos perto de 40 milhões de litros de gasolina e 21 mil toneladas de alimentos – entre eles, bens essenciais que, na Venezuela, têm um custo controlado e podem custar até dez vezes mais na Colômbia.

De acordo com o governo venezuelano, o contrabando na fronteira faz sair do país 40% de bens essenciais e 100 mil barris de petróleo por dia, gerando perdas anuais de US$ 3,65 bilhões.

A economia da Colômbia também sofre os efeitos deste comércio paralelo, devido à concorrência desleal dos produtos venezuelanos que entram no seu mercado.

Tags: alimento, Contrabando, maduro, produto, Venezuela

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.