Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Internacional

Comissão Européia convoca "reunião extraordinária"

Agência ANSA

 Preocupada com a "situação de emergência internacional", Catherine Ashton, comissária da União Européia (UE), convocou uma reunião extraordinária para esta terça-feira (12), com os embaixadores do Comitê Político e de Segurança da entidade (Cops). O objetivo é tratar, em especial, dos conflitos na Ucrânia, Iraque e Gaza.

No entanto, nesta segunda-feira (11), o presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso, vai antecipar a discussão sobre a crise na Criméia. Ele programou uma conversa telefônica com o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko e com o da Rússia, Vladimir Putin.

A situação na região ucraniana, anexada pelo governo de Putin em março, gerou centenas de mortes. Segundo balanço divulgado pelo Conselho de Segurança do governo da Ucrânia, 568 soldados morreram. Outros 2.120 ficaram feridos nos combates contra as milícias, iniciados em abril. Somente nas últimas 24 horas, seis soldados morreram e outros 24 ficaram feridos. Entre os mortos está Mikola Berezov, marido da jornalista Tetiana Ciornovol, jornalista agredida brutalmente em dezembro do ano passado, após fazer oposição ao governo do ex-presidente da Ucrânia, Viktor Ianukovich.

Os combates ocorreram na região de Donetsk, que está sendo ocupada por tropas ucranianas que tentam retomar a cidade, controlada pelas milícias pró-Rússia. Em um dos combates, um projétil atingiu uma penitenciária, matando uma pessoa e ferindo três. O incidente gerou uma rebelião. Durante a revolta, 106 presos fugiram, afirmou o site da prefeitura da cidade. Alguns foram recapturados nesta segunda-feira.

De acordo com a agência Interfax, Andrii Lisenko, porta-voz do Conselho de Segurança da Ucrânia, aconselhou a população a deixar as cidades de Donetsk e Luganski, enquanto ocorrem os conflitos.

Em Kiev, os acampamentos montados no centro da praça Maidan, epicentro da crise ucraniana, foram evacuados no último final de semana, afirmou a agência Unian. (ANSA)

Tags: CONFLITO, encontro, Europa, russia, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.