Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Internacional

Após ataque ao Iraque, EUA proíbem voos sobre o país

Agência ANSA

A Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, que regula o tráfego aéreo do país, bloqueou a passagem de voos sobre o Iraque. De acordo com o organismo, a situação na área é "potencialmente perigosa".

Após os ataques aéreos dos EUA no Iraque, as Nações Unidas (ONU) trabalham na "criação de corredores humanitários" no país que permitam retirar civis em meio à ofensiva do grupo extremista Estado Islâmico (também conhecido como Isis). A informação foi divulgada pelo representante especial da organização em Bagdá, Nickolay Mladenov.      

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, confirmou que os Estados Unidos atacaram bases do grupo extremista no Iraque. Ele ainda ressaltou que um dos dois bombardeios destruiu artilharia usada pelo grupo extremista. A operação foi realizada com dois caças FA 18, capazes de lançar bombas de mais de 226 quilos.      

O presidente Barack Obama autorizou na noite desta quinta-feira ataques aéreos contra os militantes islâmicos no Iraque e assegurou que se tratam de operações limitadas com o objetivo de ajudar os civis detidos pelo grupo. Calcula-se que ao menos 40 mil pessoas de minorias religiosas estejam presas no monte Sinjar.        

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, disse ontem que uma eventual ação militar dos Estados Unidos no Iraque contra o grupo jihadista Estado Islâmico se daria "sem o envio de tropas" e seria "limitada a seus objetivos".

Por outro lado, aviões de combate turcos voaram pelo norte do Iraque para vigiar os movimentos da milícia, informou a imprensa local. Ancara teme um avanço do grupo em direção ao país. De acordo com alguns meios de comunicação, o governo decidiu ajudar as autoridades da na ofensiva contra a milícia jihadista, acusada de cometer atrocidades na Síria e no Iraque.        

Membros do Isis atacaram vários povoados nas proximidades da região autônoma curda do Iraque, o que provocou a fuga de dezenas de milhares de civis da minoria cristã. 

Tags: crise, iraquianos, mortes, mulheres, SEQUESTRO

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.