Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Internacional

Mortos em terremoto na China chegam quase a 400

Agência ANSA

Subiu para 398 o último balanço de mortes causadas pelo terremoto de 6,5 graus de magnitude que atingiu a província de Yunnan, na China, ontem (3). As autoridades chinesas culparam a fragilidade das construções pelo alto número de vítimas. "Muitas casas rurais são feitas de madeira e não têm resistência suficiente contra terremotos", disse, em um comunicado, o órgão chinês responsável por tragédias. Ao menos 12 mil casas desabaram no tremor de terra e 30 mil foram danificadas, de acordo com a imprensa local. O número de feridos passou de 1,8 mil, muitos dos quais em condições graves.

    Ainda há pessoas desaparecidas, o que pode aumentar o balanço de mortos. O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, visitou nesta segunda-feira (4) a zona atingida pelo terremoto e pediu ajuda e empenho para as operações de resgate. Pela manhã, foram registradas mais de 400 réplicas do terremoto, algumas de forte intensidade, que acabaram aterrorizando a população. O governo de Pequim destinou cerca de 72 milhões de euros para as vítimas e operações de resgate. Aproximadamente 4 mil militares e paramilitares, além de helicópteros e aviões do Exército, atuam na região. As péssimas condições meteorológicas, marcadas por fortes chuvas, porém, dificultam a atuação dos agentes. (ANSA)

Tags: abalo, cHINA, morte, sismo, tremor

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.