Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Internacional

Israelenses e palestinos trocam acusações sobre a violação do cessar-fogo

Agência Brasil

Fontes oficiais palestinas acusaram Israel de desrespeitar o último cessar-fogo humanitário e disseram que cerca de 70 palestinos foram mortos e 200 feridos em ataques da artilharia israelense em Rafah, Sul da Faixa de Gaza. Com os últimos ataques, passa de 1.500 o número de palestinos mortos e de 8 mil o de feridos desde o início da ofensiva israelense no território, em 8 de julho.

O porta-voz do Ministério da Saúde de Gaza, Ashraf al Qedra, disse que foi Israel quem fez a primeira violação da trégua humanitária de 72 horas, mediada pela Organização das Nações Unidas (ONU), após a sua artilharia bombardear Rafah. Israel, por sua vez, informou que dois de seus soldados foram mortos em combate e que outro pode ter sido capturado pelas milícias armadas, e acusou o movimento islâmico Hamas, que controla Gaza, de aproveitar o cessar-fogo para atacar as suas tropas.

Apesar das acusações de Israel e dos Estados Unidos, o Hamas continua a insistir que a resistência palestina respeitou o cessar-fogo e limitou-se a atuar “de acordo com o princípio da autodefesa”. Em comunicado, as Brigadas Ezzedine al Qassam, braço armado do Hamas, referiram-se a “duros combates onde foram mortos e feridos muitos soldados israelenses”, mas não fizeram referência a qualquer militar capturado.

Segundo moradores de Rafah, cerca de uma hora antes da entrada em vigor do cessar-fogo acordado entre as partes (8h locais, 2h em Brasília), ocorreu um confronto entre blindados israelenses e milicianos armados. Os residentes do Sul de Gaza disseram que tanques e aviões israelenses bombardearam intensamente a cidade e que vários projéteis atingiram um mercado público no centro da cidade, provocando dezenas de mortos e feridos.

Na eventualidade da captura dos seus soldados, o Exército israelense tem ordens para flagelar a zona onde ocorreu o sequestro, inclusive para tentar eliminar seus militares sequestrados e evitar que sirvam posteriormente como “moeda de troca”.

Fontes palestinas informaram que a ofensiva israelense prosseguiu durante a tarde em Rafah.O porta-voz do Hamas em Gaza, Sami Abu Zuhri, disse, em nota, que “a declaração dos ocupantes israelenses de que um dos seus soldados foi capturado tem o objetivo de confundir a opinião pública e justificar a violação do cessar-fogo humanitário”.

Tags: crise, guerra, israelenses, PALESTINOS, política

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.