Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Internacional

Rebeldes propõem trégua na Ucrânia após queda de avião

Uma das caixas pretas do avião da Malásia já foi encontrada

Agência ANSA

Os separatistas pró-russos na Ucrânia prometeram nesta sexta-feira (18) um cessar-fogo de até quatro dias para auxiliar nos resgates do avião da Malaysia Airlines que caiu ontem com 298 pessoas a bordo. O anúncio foi feito pelo líder dos rebeldes, Andrei Purgin, em declarações à agência russa Ria Novosti.

Os separatistas garantiram que permitirão o acesso de membros da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e das autoridades de aviação civil ucraniana à área do desastre, a cerca de 30 quilômetros de Donetsk.

A notícia vem depois de o governo dos Estados Unidos  fazer um apelo para um "cessar-fogo imediato" na Ucrânia para permitir uma investigação sobre o acidente. "Pedimos a todas as partes interessadas - a Rússia, os separatistas e a Ucrânia - que apoiem um cessar-fogo imediato para permitir um acesso seguro e sem obstáculos no local do incidente aos investigadores internacionais, com o objetivo de facilitar a recuperação dos restos dos corpos", disse em um comunicado o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

As equipes de resgate conseguiram encontrar hoje (18) uma das caixas pretas da aeronave, que  fazia o voo MH17, entre Amsterdã, na Holanda, e Kuala Lumpur, na Malásia. O avião caiu no vilarejo de Grabovo, no leste da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia. Todos os seus 298 ocupantes (283 passageiros e 15 tripulantes) morreram. As causas da queda do Boeing 777 da companhia malaia - similar àquele que desapareceu em março - ainda não são certas, mas suspeita-se que o avião tenha sido derrubado por um míssil.

    Desde que a queda foi noticiada, o governo ucraniano e os rebeldes pró-Moscou que atuam na parte leste do país trocam acusações sobre quem teria efetuado o suposto disparo. Por sua vez, os separatistas pró-russos anunciaram que permitirão o acesso seguro e sem limitações no local da tragédia aos inspetores internacionais, informou hoje a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (Osce). Por sua vez, a Holanda declarou luto pelo desastre aéreo no qual 173 cidadãos deste país morreram. Entre as vítimas também estão muitas crianças que estavam de férias com os pais. Muitos passageiros eram especialistas e voluntários que estavam a caminho do congresso internacional sobre Aids em Malbourne, na Austrália.

Lideranças mundiais

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, presidirá uma reunião de crise do comitê que pretende discutir a queda do avião e o seu possível abatimento por um míssil. Por sua vez, a chanceler alemã, Angela Merkel, confirmou que entre as vítimas da tragédia estão quatro alemães. Já o presidente russo, Vladimir Putin, disse que "a tragédia do avião da MalaysiaAirlines mostra a necessidade de uma solução urgente e pacífica" da crise na Ucrânia.

Malásia

O ministro malaio dos Transportes, Liow Tiong Lai, definou a tragédia como "um ultraje contra a decência humana", se for confirmada que a causa do acidente foi o abatimento por parte de um míssil. 

Tags: avião, EUA, malaysia airlines, mortos, queda, Tragédia, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.