Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Internacional

Dilma diz que é preciso ter prudência ao avaliar queda de avião na Ucrânia

Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff disse hoje (17) que o governo brasileiro não se posicionará sobre a queda do voo MH17, da Malaysia Airlines, em território ucraniano, até que haja informações mais claras sobre o incidente.  Após reunião da Cúpula China-Brasil e líderes da América Latina e do Caribe, Dilma disse que é preciso ser prudente.

“Tem um segmento da imprensa dizendo que o avião que foi derrubado estava na rota da volta do presidente [russo Vladimir] Putin, que coincidia o horário e o percurso. Eu acho que é importante ter claro que não é um míssil de fácil manejo. Então, nós temos que olhar de fato o que realmente aconteceu. O governo brasileiro não se posicionará quanto a isso até que fique mais claro, por uma questão não só de seriedade, como também de prudência”, disse a presidente.

O presidente da Rússia, que retornou ao seu país ontem, após a 6ª Cúpula do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Brasília, responsabilizou o governo da Ucrânia pelo incidente e disse que o desastre não teria acontecido se as operações militares contra os separatistas pró-russos no leste ucraniano não tivessem sido renovadas. O governo ucraniano diz que o avião pode ter sido abatido por um míssil.

O voo MH17 saiu de Amsterdã, na Holanda, com destino a Kuala Lumpur, na Malásia, mas caiu na Ucrânia, próximo à fronteira com a Rússia, região que enfrenta forte tensão e conflitos desde o início do ano, principalmente após a anexação, pela Rússia, da Crimeia, península no Sul do país.

Após o acidente, a Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea (Eurocontrol) decidiu fechar o espaço aéreo do Leste da Ucrânia.

Tags: dilma, malasia, queda, UCRÂNIA, voo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.