Jornal do Brasil

Quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

Internacional

A história por trás do ‘Mais Médicos’: vantagem para as duas partes

Jornal do Brasil

A revista eletrônica americana Quartz publicou nesta quinta-feira (17) uma matéria falando sobre o Programa Mais Médicos, do governo federal brasileiro, que trouxe 4.500 médicos cubanos para trabalhar em áreas do interior do Brasil.

A reportagem relembra que os médicos brasileiros se revoltaram contra o programa, denunciando que “o programa era somente uma solução temporária para um problema sistêmico”, como afirma a publicação. Associação Médica Brasileira (AMB) e o Conselho Federal de Medicina chegaram a entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para cancelar o programa.

O jornal afirma que, apesar da falta de suporte popular “o programa é um ganho para os dois países”. “O Brasil tem, hoje, 1,9 médicos para cada mil pessoas, uma das taxas mais baixas médico-paciente do mundo. Em Cuba, por outro lado, existem 6.7 médicos para cada mil pacientes, a maior taxa de médicos em proporção à população em todo o mundo”.

Cuba recebe U$270 milhões por ano do Brasil, dinheiro que precisa “desesperadamente para baixar a inflação”, diz o Quartz. A matéria ainda comenta que a importação dos médicos aumenta o prestígio do já bem sucedido programa de medicina cubano, explorando um mercado pouco explorado. A publicação diz que o programa é uma tentativa de aproximação brasileira, visto que o “Brasil tem se posicionado com um grande jogador no novo desenvolvimento cubano”.

As exportações brasileiras para Cuba qquadruplicaram na última década, chegando a U$450 milhões, especialmente na agricultura. Porém, o projeto mais lucrativo do Brasil em Cuba é a modernização do Porto de Mariel, que está sendo realizado pela empreiteira Odebrecht. Lá, Cuba vai estabelecer uma zona econômica especial, abrindo-se para companhias não estatais. “Quando isso acontecer, as companhias brasileiras serão as primeiras na fila”, completa o site.

A reportagem diz  que o programa foi uma resposta aos pedidos que levaram milhares às ruas, pedindo por melhor saúde. Segundo o jornal o programa está sendo copiado em alguns lugares, depois de fazer sucesso no nordeste, onde a aprovação do programa é de 72%. Eles ainda especulam que, apesar de Dilma Rousseff continuar impopular em meio a classe média, ela pode, com o programa conseguir votos da maioria mais pobre, que se beneficiou ou aprova a presença dos médicos cubanos. 

Tags: Cuba, dilma, Eleições, mais médicos, porto de mariel, quartz, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.