Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

Internacional

Dilma: líderes do Brics querem reforma no Conselho de Segurança da ONU

Agência Brasil

A presidente Dilma Rousseff disse hoje (15) que os integrantes do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) concordam que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) precisa de uma reformulação.

“O Conselho de Segurança da ONU encontra crescentes dificuldades para oferecer respostas eficazes aos desafios que se apresentam, sendo vítima de uma erosão de sua legitimidade e relevância”, disse a presidenta durante encontro do bloco em Fortaleza. "Todos os líderes coincidiram, chamando a atenção para a necessidade de uma urgente reforma nessa respeitável e indispensável instituição”, acrescentou.

O Conselho de Segurança da ONU é composto por cinco membros permanentes (China, França, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos), que possuem direito a veto. Também fazem parte também do colegiado dez membros não-permanentes, que são eleitos pela Assembleia Geral com mandatos de dois anos.

Em seu discurso, Dilma disse que os líderes do Brics defendem a necessidade de reforma no colegiado da ONU para “rever sua distribuição de poder de voto, de maneira a refletir o peso inquestionável dos países emergentes na economia mundial.”

Segundo Dilma, durante a reunião de cúpula, os chefes de Estado do Brics discutiram conflitos regionais, especialmente no Oriente Médio. A presidenta lamentou a falta de avanços concretos na região e disse que as soluções para estes conflitos passam pela via do diálogo. “Concordamos em que é essencial, nesses e em outros casos, o envolvimento construtivo e coeso da comunidade internacional, evitando-se ações unilaterais, que atendem a conveniências de países específicos, mas comprometem soluções negociadas e de interesse da grande maioria”, disse.

No documento final da cúpula, a Declaração de Fortaleza, os líderes do Brics reafirmaram o compromisso do bloco em contribuir para uma solução “abrangente, justa e duradoura” para o conflito entre Israel e Palestina. Também manifestou preocupação com a situação na Ucrânia, no Iraque e na Síria.

Tags: blobo, cHINA, Nações, Organização, russia, Unidas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.