Jornal do Brasil

Terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Internacional

Máfia dos ingressos: imprensa internacional destaca prisão de Whelan no Rio

Jornal do Brasil

A prisão do executivo britânico Raymond Whelan, diretor da Match Service, acusado pela Policia Civil do Rio de Janeiro de chefiar um esquema internacional de venda ilegal de ingressos da Fifa no mercado negro, repercutiu nos principais jornais estrangeiros. Os veículos ingleses não publicaram detalhes do caso e reservaram mais espaço para os jogos da Copa no Brasil.  

O jornal britânico 'The Independent' estampou na sua capa, nesta terça-feira (8/7) a manchete: “Copa do Mundo de 2014: o chefão britânico parceiro da Fifa Ray Whelan é preso no Brasil em inquérito sobre desvio de ingressos”. Imagens em um vídeo que fazia parte da reportagem mostrava o momento da prisão de Ray, no Hotel Copacabana Palace, na Zona Sul do Rio, por policiais civis. “Segundo a polícia, a quadrilha pode ter arrecadado US$ 90 milhões (52 milhões de libras) por torneio, e poderia ter operado em quatro Copas do Mundo”, destacava a matéria. Outro trecho da reportagem cita a Operação Jules Rimet, revelando o nome de jogadores de futebol que podem ter fornecido ingressos para membros da quadrilha.

O periódico americano The Wall Street Journal dá detalhes sobre a operação policial no Rio de Janeiro para prender Ray Whetan e comenta escândalos que a Fifa esteve envolvida nos últimos anos. "Mas o escândalo do bilhete é o mais recente em uma série de controvérsias envolvendo a FIFA, incluindo alegações de suborno e corrupção em sua premiação da Copa do Mundo de 2022 no Qatar. Eventos recentes levantaram questões sobre se a organização é capaz de policiar a si mesma e manter o controle sobre sua grande rede de parceiros de negócios.", diz o jornal. 

O jornal 'Clarín', da Argentina, enfatiza as ligações da Match com o presidente da Fifa, Joseph Blatter. “É a primeira vez que a entidade sofre uma espécie de invasão em seus escritórios montados para a Copa, na Praia de Copacabana.”, destaca a reportagem que recebeu o título “Escândalo da revenda de ingressos respinga em Blatter”.  Ainda na Argentina, o periódico 'La Nación' dá mais atenção às informações acerca das negociações da empresa Infront, de Phillipe Blatter, sobrinho de Joseph Blatter. “Depois de ser interrogado Whelan saiu em liberdade, porque o foco principal está na sociedade da firma Infront com a Match, já que ela pertence a Phillipe Blatter, sobrinho do comandante da Fifa, Joseph Blatter, e que acumula vários negócios com a entidade, curiosamente desde que o seu tio chegou à presidência.”, diz o texto do 'La Nación'.

O jornal francês 'Le Monde' também destacou a prisão de Whelan e dos outros envolvidos no esquema ilegal. “A Justiça do Rio determinou sua prisão preventiva. A polícia suspeita que ele seja o chefe de uma rede de venda ilegal de milhares de ingressos para os jogos da Copa, incluindo 11 supostos integrantes que foram presos na semana passada em São Paulo e Rio. Entre eles está o franco-argelino Lamine Fofana Mohamadou que os investigadores tinham inicialmente suspeitado ser o líder desta organização, mas agora consideram ser Whelan, após análise das conversas telefônicas entre os dois homens”.

Tags: blatter, Clarín, Copa, Fifa, monde, whelan

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.