Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Internacional

EUA: Empresas não precisarão pagar método contraceptivo

Agência ANSA

A Suprema Corte de Justiça dos Estados Unidos decidiu nesta segunda-feira, dia 30, que empregadores religiosos não serão obrigados a providenciar métodos contraceptivos a seus funcionários.    

A Justiça alegou a defesa da liberdade religiosa para deixar a pílula do dia seguinte fora do plano de saúde obrigatório, em vigor em meio a reforma do sistema de saúde norte-americano - conhecida como Obamacare. A sentença representa uma derrota para a Casa Branca.   

A decisão foi tomada com 5 votos a favor e 4 contra, diante de muitas ressalvas. O veredicto só se aplica a empregadores como Holly Lobby, uma empresa controlada por uma única família cujas convicções religiosas são profundas e o planejamento familiar é considerado um pecado.    

O juiz Sam Alito, de orientação conservadora, explicou que a medida não se aplica a outras formas de cuidados de saúde, tais como vacinas, transfusões de sangue, o uso da maconha medicinal, que podem entrar em conflito com as crenças religiosas do empregador.    

Fora do Tribunal, militantes contra e a favor da medida se reuniram para protestar. Quando a decisão foi anunciada, conservadores comemoraram dançando e gritando, sob vaias de feministas e defensores da reforma da saúde.

Tags: conservadorismo, contraceptivo, empresas, Estados Unidos, religião

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.