Jornal do Brasil

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

Internacional

Papa condena todo tipo de droga

Agência ANSA

O papa Francisco condenou mais uma vez nesta sexta-feira (20) todo tipo de droga, tema sobre o qual não pode ter compromissos já que se trata de um flagelo que coloca em risco a vida das pessoas.    

"Não a todo tipo de droga, sobre isto não podem existir compromissos", disse o Papa ao receber participantes da 31ª Conferência Internacional de Controle de Drogas (IDEC) no Vaticano.    

"As legalizações das drogas leves não produzem os efeitos prefixados e as drogas substitutivas não são uma terapia suficiente mas um modo velado para se render diante do fenômeno", destacou Francisco.    

O Pontífice manifestou "dor e preocupação pelo flagelo da droga que segue se estendendo de formas e dimensões impressionantes, alimentado por um mercado do lucro que supera fronteiras nacionais e continentais". Neste sentido, o Papa acrescentou que "segue crescendo o perigo para os jovens e os adolescentes".    

O trabalho é o caminho para superar o "flagelo da droga. Para dizer não a todo tipo de droga, é necessário dizer sim à vida, sim ao amor, sim aos outros, sim a educação, sim ao esporte, sim ao trabalho, sim a mais fontes de trabalho. Se estes sim se concretizam, não há lugar para a droga, para o abuso do álcool e nem para as outras dependências", disse Francisco.    

O Papa destacou que os jovens que não trabalham e nem estudam "lhes falta à esperança" e por isso a droga se converte lentamente em uma solução para seus problemas. O trabalho de "recuperação" dos jovens que usam drogas "é ínfimo, não é suficiente. Trabalhar na prevenção pode fazer muito bem", disse o Pontífice aos participantes do IDEC. A Igreja "não abandou os que caíram na droga, mas com seu amor criativo foi ao seu encontro, os tomou pela mão, através da obra de tantos operadores e voluntários, para que pudessem redescobrir sua própria identidade, ajudando-os a ressuscitar os recursos, os talentos pessoais que a droga havia sepultado mas que não podia apagar, desde o momento que todo homem é criado à imagem e semelhança de Deus", destacou ele.    

"O exemplo de tantos jovens que para sair da dependência da droga se empenham em reconstruir sua vida, é um estímulo a olhar para frente com confiança", concluiu o Papa.

Tags: declaração, drogas, Francisco, Legalização, papa

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.