Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Internacional

ONU: número de deslocados na Ucrânia chega a 34 mil

Agência Brasil

O número de deslocados na Ucrânia atingiu 34 mil, indicou hoje (16) a Organização das Nações Unidas (ONU). De acordo com a organização, no entanto, apenas 19 mil foram identificados por funcionários da ONU. “Em termos gerais, a estimativa é 34 mil deslocados”, disse o porta-voz do gabinete da ONU para a Coordenação dos Assuntos Humanitários, Jens Laerke, em Genebra.

Desse número total, 19 mil deslocados foram identificados e são provenientes da Crimeia e da região Leste da Ucrânia, informou Laerke. “Também temos relatos críves que dão conta de movimentações nas províncias de Donetsk e Lugansk [ambas no Leste do país], mas não temos pessoas no terreno”, afirmou a responsável para as questões humanitárias da ONU, Valerie Amos, em uma coletiva de imprensa.

Em meados de maio, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) admitiu a existência no território ucraniano de cerca de 10 mil deslocados, a maioria tártaros provenientes da República Autônoma da Crimeia. Em março, os tártaros - comunidade de tradição muçulmana com cerca de 300 mil pessoas - boicotaram massivamente o referendo sobre a anexação da Crimeia à Rússia.

Nas últimas semanas, a ONU tem denunciado ações de “assédio” e “perseguições” visando os tártaros da Crimeia, o que contrariou autoridades russas.

Donetsk e a região vizinha de Lugansk declararam independência da Ucrânia no dia 11 de maio, depois de referendos cuja legitimidade é questionada pela capital ucraniana, Kiev, e pelos seus aliados ocidentais - como a União Europeia e os Estados Unidos.

A ofensiva militar lançada pelo Exército ucraniano no dia 13 de abril para recuperar o controle do Leste separatista - região industrial com uma população de sete milhões de pessoas - provocou até o momento mais de 370 mortos, entre civis e combatentes de ambos os lados.

Tags: Nações, rússiam conflito, tensão, UCRÂNIA, Unidas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.