Jornal do Brasil

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Internacional

'The Diplomat': Ações da Rússia na Ucrânia perturbam paz na Ásia Central

Rússia estaria ameaçando a soberania e integridade de outros países da região

Jornal do BrasilRafael Gonzaga

O jornal The Diplomat falou em matéria da última quarta-feira (28) sobre os reflexos que as ações da Rússia na Ucrânia desencadearam em outras regiões da Ásia Central. O jornal disse que todos os governos da região possuem razões consideráveis para ficarem em estado de alerta, tanto por conta das ações da Rússia quanto pela resposta norte-americana. O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, pediu a invasão, ocupação e anexação da península da Criméia, ao passo que um discurso feito em março pelo presidente russo Vladmir Putin ressaltou o perigo de quebra da soberania e integridade territorial de todos os cinco Estados da Ásia Central. O discurso asseguraria ações militares caso a dignidade e honra dos russos que vivem nesses outros estados fosse ameaçada.

De acordo com o jornal, Putin poderia agravar a ameaça à soberania e à integridade dos outros cinco estados que compõe a Ásia Central, ao estar vinculado com a ideia de que os cidadãos de um país podem se beneficiar da proteção de um Estado mais forte e, dessa forma, escapar da autoridade legal do local onde residem. Segundo o The Diplomat, a própria legislação russa, desde 2009, já autorizaria o envio de militares pelo presidente russo nestes e em outros países que ameaçassem a “honra e dignidade” dos russos que residem nesses outros locais. O jornal ressalta que, com essa medida, a Rússia poderia invadir qualquer país alegando maus tratos dos russos.

A matéria lembra que em 2011 o Ministério das Relações Exteriores do Turcomenistão criticou objeções da Rússia para ele participar do gasoduto Trans- Cáspio, notando que o gasoduto era vital para os interesses econômicos do Turcomenistão. O ministério passou a repreender Moscou, sob a alegação de estar defendendo a política energética do Turcomenistão. A Rússia respondeu com medidas que exigiriam que o Turcomenistão entregasse a sua neutralidade e política externa independente não enviando gás para a Europa, caso contrário incitaria uma revolução que levaria o caos ao país.

Outro ponto que o jornal tocou foi que as demandas da Ásia Central e a crise ucraniana teriam mostrado que os EUA não possuem uma política adequada para lidar com uma possível crise na Ásia Centra. O jornal questiona que se os EUA não intervieram de forma mais robusta na questão da Ucrânia, com quem ele havia feito um grande acordo de garantia da integridade, em relação a problemas maiores na Ásia Central, menos ainda deverá ser feito.

Tags: ásia central, Estados Unidos, Moscou, russia, turcomensitão, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.