Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Internacional

Al-Qaeda desmente morte de padre italiano

Paolo Dall'Oglio foi sequestrado em julho de 2013

Agência ANSA

O padre jesuíta italiano Paolo Dall'Oglio, que desapareceu na Síria há 10 meses, ainda está vivo e é mantido como prisioneiro de milícias ligadas à Al Qaeda no norte do país árabe. 

Segundo o portal Syria Newdesk, membros do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (Isis), grupo armado ligado à organização criada por Osama Bin Laden, disseram que o religioso está em uma casa na cidade setentrional de Raqqa ao lado de jornalistas da Sky News Arabia.    

 Hoje (26) mais cedo, um desertor da Isis havia dito a uma ONG que Dall'Oglio fora morto pelos militantes. De acordo com a sua versão, que ainda carece de provas, o jesuíta foi baleado com 14 tiros de pistola apenas duas horas após o seu sequestro, em julho do ano passado.

 Em junho de 2012, o padre italiano foi expulso pelo governo de Bashar al Assad após ter tomado abertamente posição em favor do plano de paz do então enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Síria, Kofi Annan. Em fevereiro de 2013, Dall'Oglio voltou ao país árabe para uma peregrinação que passou por cidades e vilarejos bombardeados pelas forças de Damasco. No dia 24 de julho do mesmo ano, o jesuíta pediu para o papa Francisco promover "uma iniciativa diplomática urgente e inclusiva para a Síria", mas foi raptado dias depois pelos rebeldes do Isis, que combatem Assad, enquanto tentava conseguir a libertação de um grupo de reféns. (ANSA)

Tags: al-qaeda, assad, onu, Oriente Médio, padre italiano, paolo dall'oglio, síria

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.