Jornal do Brasil

Terça-feira, 29 de Julho de 2014

Internacional

Após campanha acirrada, colombianos escolhem presidente

Agência ANSA

Os colombianos irão às urnas neste domingo (25) para eleger o próximo presidente do país após uma campanha polarizada, marcada por "traição" e escândalo. Com a "guerra suja" entre os principais candidatos, o atual mandatário, Juan Manuel Santos, e Oscar Iván Zuluaga, as posições se radicalizaram entre os que querem a paz e a aqueles que "preferem a guerra" no país.    

Desta forma, os cerca de 32,9 milhões de colombianos habilitados a votar devem escolher um dos lados neste domingo. Uma das principais bandeiras do governo de Santos é a tentativa de paz com o grupo guerrilheiro Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) - que acontecem desde 2012 em Havana.    

Zuluaga, que é apadrinhado pelo ex-presidente Álvaro Uribe, inimigo de Santos, por sua vez, tem uma orientação política completamente oposta e pretende acabar com as conversações caso seja eleito.    

Além deles, concorrem ao cargo a progressista Clara López, a conservadora Marta Lucía Ramírez e o ex-prefeito de Bogotá Enrique Peñalosa. Os discursos e programas dos demais candidatos, no entanto, passaram quase despercebidos em meio a escândalos e trocas de acusações entre os rivais mais fortes do pleito.     

Foi divulgado recentemente um vídeo que mostra Zuluaga conversando com um hacker que disse ter acesso a informações privilegiadas de Inteligência. O candidato e seu advogado, Jaime Granados, disseram que se trata de uma "montagem" para desestabilizar sua candidatura.    Dias antes, no entanto, Uribe acusou Santos de receber dinheiro da máfia -- sem provar tais alegações. O atual presidente, que foi ministro da Defesa de Uribe, é considerado um "traidor" por ele, por ter rompido com seus interesses políticos após ter sido eleito.    

Desta forma, em meio ao duelo da campanha eleitoral, temas como a violência e a criminalidade nas metrópoles e zonas rurais, os problemas estruturais do sistema de saúde, a urgente reforma do modelo atual de Justiça e a corrupção ficaram de fora do debate.

Tags: . eleição, COLÔMBIA, presidencial, Santos, urnas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.