Jornal do Brasil

Terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Internacional

Confrontos no Mali matam 36 pessoas

Agência Brasil

Mais de 30 pessoas, entre civis e militares, estão desaparecidas depois dos confrontos ocorridos na cidade de Kidal, ao Norte do Mali. A cidade é controlada pelos rebeldes, mas representantes do governo afirmaram hoje (18) que após os combates os militares recuperaram o controle de todos os edifícios administrativos da cidade, exceto o prédio onde o Movimento Nacional de Libertação de Azawad (MNLA) mantêm 30 funcionários como reféns.

Os confrontos ocorreram em frente à sede do governo da região, quando o primeiro-ministro do Mali, Moussa Mara, visitava a cidade. Pelas contas do governo, 36 pessoas morreram. Segundo nota do Ministério da Defesa do Mali, oito mortos e 25 feridos são das Forças Armadas e 28 mortos e 62 feridos são integrantes do grupo tuaregue rebelde MNLA.

O governo responsabilizou o movimento pelas mortes. Moussa Mara afirmou que o Mali vai travar "uma guerra sem tréguas aos terroristas".

O ministro da Defesa do Mali, Soumeylou Boubeye Maiga, disse que vai reforçar a presença de militares em Kidal e nos arredores da cidade. Segundo ele, se houver necessidade, o efetivo de homens poderá ser duplicado.

Kidal, que fica a 1,5 mil quilômetros da capital Bamaco, foi palco de protestos de centenas de jovens e mulheres contra o governo nos últimos dias. Grupos insatisfeitos se manifestaram no aeroporto tentando impedir a visita do primeiro-ministro do Mali, que foi nomeado em abril.

O antecessor de Moussa Mara, Oumar Tatam Ly, cancelou uma visita a Kidal em novembro do ano passado, depois de protestantes terem ocupado a pista do aeroporto.

A força das Nações Unidas para o Mali, Minusma, condenou os atos de violência, considerando que são contraproducentes e “contra a vontade do povo do Mali, que aspira à paz e estabilidade duradouras”.

No sábado, representantes da Minusma afirmaram que 19 dos seus policias e sete manifestantes ficaram feridos na sequência de confrontos nas manifestações do aeroporto.

*Com informações da Agência Lusa

Tags: CONFLITO, Governo, mali, mortos, rebeldes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.