Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Internacional

Napolitano nega saber de 'complô' contra Berlusconi

Agência ANSA

O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, afirmou nesta quarta-feira (14) que o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi renunciou ao cargo em 2011 de maneira "livre e responsável".

A declaração de Napolitano vem após uma polêmica criada pelo ex-secretário de Tesouro dos Estados Unidos Timothy Geithner, que disse que havia um complô para tirar Berlusconi do poder. Há tempos, o ex-premier também afirma ser vítima de jogos de interesse.

 "A renúncia livre e responsável apresentada em 12 de novembro de 2011 pelo primeiro-ministro Berlusconi, e já anunciada no dia 8 de novembro, não teve outra motivação a não ser os eventos políticos e parlamentares italianos", afirmou em um comunicado a Presidência do país.

A nota também destacou que as "revelações" feitas pelo ex-secretário do Tesouro dos EUA são relativas a reuniões ocorridas em 2011 entre chefes de Governo das quais Napolitano, como chefe de Estado, não participou. "[Napolitano] nunca foi levado ao conhecido de pressões sobre Berlusconi", afirmou.

Em seu livro "Stress Test -Reflexões sobre Crises Financeiras", lançado essa semana, Geithner afirmou que havia um complô em países europeus para derrubar Berlusconi do poder, em plena crise financeira e monetária no continente.

O ex-secretário conta que alguns líderes chegaram a se aproximar e propor ao presidente Barack Obama um plano para tirar Berlusconi da cena política. Mas Geithner garante que os EUA não quiseram se envolver com isso. "Não podíamos ter esse sangue nas nossas mãos", disse.

Questionado, o atual secretário de Estado norte-americano, John Kerry, afirmou nesta quarta-feira "não saber de nada" sobre esse episódio. Berlusconi, por sua vez, garante há tempos que é vítima de um complô e de um jogo de interesses na Itália.

"O complô é uma notícia gravíssima que confirma o que tenho dito", comentou o ex-premier, que atualmente cumpre pena por uma condenação por fraude fiscal. "No último Conselho Europeu do qual participei, em 2011, a chanceler alemã, Angela Merkel, me disse: 'Sei que você não me cumprimentará mais'", relatou o ex-premier.

"Eu pensava que uma notícia desse gênero, como a de Geithner, deveria estar na primeira página dos nossos jornais. Mas o que podemos esperar deste país ainda? Há 20 anos estamos combatendo pela liberdade, suportando quatro golpes de Estado", afirmou Berlusconi.

Em novembro de 2011, em meio a uma grave crise financeira e econômica, Berlusconi anunciou sua renúncia ao cargo de primeiro-ministro. Em seu lugar, foi eleito Mario Monti, que governou a Itália até abril de 2013. 

Tags: Berlusconi, boatos, ex-premier, italiano, presidente

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.