Jornal do Brasil

Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

Internacional

Grupo islâmico Boko Haram promete vender meninas sequestradas na Nigéria

Agência ANSA

Em um vídeo de 57 minutos, os rebeldes do grupo extremista islâmico Boko Haram reivindicaram nesta segunda-feira (5) o sequestro de cerca de 200 estudantes na Nigéria e afirmaram que as garotas serão tratadas como "escravas", "vendidas" ou "forçadas a se casarem". "Sequestrei a filha de vocês e as venderei no mercado em nome de Alá", disse o líder do grupo, Abubakar Shekau nas imagens, defendendo que a "educação ocidental deve cessar" e, portanto, "as meninas deixarão a escola para se casarem". 

O vídeo foi divulgado pelo Boko Haram após o presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, prometer em rede nacional que o governo libertaria as 223 estudantes raptadas no último dia 14 de abril. 

"O nosso país foi submetido a uma grande prova muito dolorosa", afirmou o mandatário, pedindo a colaboração dos pais das vítimas, das forças de segurança e até do presidente norte-americano, Barack Obama, para resolver o problema. 

Enquanto isso, surgem boatos de que algumas estudantes sequestradas foram enviadas para Chade e Camarões, onde estariam sendo vendidas por US$ 12. Por sua vez, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, disse que o país fará "todo o possível" para ajudar a Nigéria.

Tags: escravidão, estudantes, islamismo, nigerianas, terror

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.