Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Setembro de 2014

Internacional

Prisão de líder nacionalista irlandês é prorrogada por 48 horas

Agência ANSA

A polícia da Irlanda do Norte conseguiu prorrogar por 48 horas, contando a partir da noite desta sexta-feira (2), o período de interrogatório do líder político Gerry Adams, preso no dia 30 de abril por conta do seu suposto envolvimento no sequestro e assassinato da viúva Jean McConville pelo grupo separatista IRA, em 1972.    

Adams tem 65 anos e comanda o Sinn Féin, um dos movimentos nacionalistas mais antigos do país. Ele se apresentou espontaneamente em uma delegacia do condado de Antrim e disse estar pronto para colaborar com as investigações, mas negou ter qualquer participação no crime.    

O caso desencadeou uma série de reações na política local, inclusive por parte do vice-premier da Irlanda do Norte, Martin McGuinness, que é membro do Sinn Féin e foi líder do IRA no passado. Ele declarou que a prisão de Adams é uma tentativa deliberada de ameaçar o processo de paz por parte de "forças obscuras". Já o primeiro-ministro britânico, David Cameron, telefonou para McGuinness e ressaltou que não houve interferência política na prisão, acrescentando que a questão deve ser resolvida pela polícia.    

McConville era uma viúva católica de 37 anos, mãe de 10 filhos, que foi tirada de sua casa, em Belfast, em um sequestro orquestrado pelo IRA. O grupo suspeitava que ela estivesse passando informações para o serviço de inteligência do Reino Unido. Após ser morta com disparos na cabeça, a vítima foi enterrada em um local secreto. O movimento reconheceu o crime somente em 1999, e os restos mortais de McConville foram achados em uma praia em 2003. 

Tags: Irlanda, Norte, prisão, prorrogação, separatismo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.