Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Internacional

ONU condena sentenças de morte em massa no Egito

Agência ANSA

O Alto Comissariado pelos Direitos Humanos das Organizações das Nações Unidas (ONU) condenou hoje, 29, a condenação à morte de 683 ativistas pró-Morsi no Egito. 

Segundo a organização, o processo violou os direitos humanos. "É uma ofensa que, pela segunda vez em dois meses, a Sexta Câmara da Corte Penal de Al-Minya tenha imposto a pena capital a um grande grupo de réus ao final de um processo apressado", afirmou a alta comissária da ONU, Navi Pillay. 

A despeito dos pedidos da comunidade internacional ao Egito após a condenação à pena de morte de 529 pessoas em março deste ano, centenas de pessoas "enfrentam o mesmo destino nas mãos de um sistema judiciário onde a garantia de um processo justo parece cada vez mais destruída", afirmou Pillay. Os 683 condenados foram acusados, entre outros, da morte de um policial e pelo ataque a um comissariado em agosto de 2013. Como no caso anterior, as acusações específicas a cada réu não são claras, já que não foram lidas em tribunal, segundo afirmou a ONU.     

Em ambos os casos, os condenados eram partidários do ex-presidente deposto do Egito Mohamed Morsi.

Tags: condenação, Egito, morsi, onu, pena de morte

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.