Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Setembro de 2014

Internacional

Tribunal condena à morte 683 pessoas no Egito

Agência ANSA

Um tribunal do Egito condenou hoje (28) à morte 683 militantes partidários do presidente deposto Mohamed Morsi, entre eles o líder da Irmandade Muçulmana, Mohamed Badie.     

A decisão é de primeira instância e o veredicto final sairá em 21 de junho. Diante do tribunal, dezenas de mulheres gritavam e choravam, protestando contra a sentença aos apoiadores da Irmandade Muçulmana. A polícia teve de agir para impedir desordem. A maioria dos réus é acusada de atos de violência durante os protestos ocorridos em 14 de agosto de 2013, na cidade de Minya, data em que dezenas de pessoas morreram em confrontos. 

Em outra decisão, o mesmo tribunal comutou à prisão perpétua 492 egípcios pró-Morsi, do grupo de 529 pessoas que havia sido condenado à morte em março. Em retaliação, a Irmandade Muçulmana anunciou uma série de protestos contra as condenações. No Cairo, as forças egípcias reprimiram um grupo de estudantes que apóiam Morsi. Segundo fontes locais, dois estudantes e dois policiais ficaram feridos, além de um carro que foi incendiado. Também nesta segunda-feira (28), o Tribunal de Assuntos Urgentes do Cairo declarou ilegal o "Movimento 6 de Abril", considerado um dos mais importantes da revolta contra o ex-presidente Hosni Mubarak, destituído em 2011. 

Tags: Egito, morsi, pena de morte, política, Tribunal

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.