Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Setembro de 2014

Internacional

Bolívia exonera mais de 700 militares após protesto

Militares reivindicam mudanças nas regras que proíbem a promoção de oficiais não comissionados

Portal Terra

O governo boliviano exonerou 702 membros do Exército em resposta a uma marcha de militares não-comissionados. Na ocasião, eles protestavam contra a discriminação sofrida por membros indígenas e contra a demissão de 13 funcionários que teriam se recusado, na segunda-feira (20), a obedecer ordens e organizado motins. As informações são da agência de notícias France Press.

Cerca de dois mil sargentos participaram do protesto usando seus uniformes e cantando hinos de guerra, em caminhada até o centro da capital La Paz.

Os grevistas se queixam do tratamento dado a militares não-comissionados, pertencentes aos povos Aymara e Quechua, por seus superiores. 

Entre as suas reivindicações, estão mudanças nas regras que proíbem a promoção de oficiais não-comissionados, para além do posto de sargento, assim como o ingresso em outras instituições.

"Nós não somos contra o governo", disse o presidente da associação dos oficiais não-comissionados, Johnny Gil. "Somos contra o sistema, este modelo capitalista, neoliberal e colonial instituído dentro das Forças Armadas", completou.

A associação pediu que os militares respeitem uma nova constituição promulgada pelo presidente Evo Morales, e que garante a igualdade racial e de gênero no país sul-americano. 

Greves e protestos foram convocados para a próxima segunda-feira, 28. 

As Forças Armadas da Bolívia contam com 38 mil homens, dos quais 10 mil são oficias não-comissionados.

Tags: AMÉRICA LATINA, bolívia, exército, exonerados, Governo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.