Jornal do Brasil

Sábado, 1 de Novembro de 2014

Internacional

Rússia acusa Otan de usar crise ucraniana para se reforçar

Agência Brasil

O governo russo acusou hoje (10) a Organização do Tratado do Atlântico (Otan), aliança militar intergovernamental, de usar a crise na Ucrânia como pretexto para reforçar a aliança e justificar a sua existência.

“As incessantes acusações do secretário-geral [da Otan, Anders Fogh Rasmussen] convencem-nos de que a aliança pretende utilizar a crise na Ucrânia para consolidar as suas fileiras ante uma ameaça exterior inventada”, disse, em nota, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

No texto, o governo russo diz ainda que, ao levantar recorrentemente “a crescente militarização da Rússia”, a Otan pretende “justificar a sua utilidade no século 21”. De acordo com a Rússia, os gastos militares da Otan representam metade dos gastos militares mundiais e o orçamento russo para defesa é dez vezes menor que o da aliança. 

Segundo a diplomacia russa, a Otan, que acusa a Rússia de desrespeitar o direito internacional, também o desrespeitou nos casos de Kosovo e da Líbia. “Agora, a aliança tenta atuar como grande defensora do direito, fazendo vista grossa às arbitrariedades das forças extremistas na Ucrânia que levam à cisão da sociedade”, acrescentou o governo na nota, complementando que a Otan tenta se passar por um “clube de elite” com “legitimidade política peculiar”, desconsiderando organismos internacionais como o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual a Rússia faz parte como membro permanente. 

A Ucrânia acusa a Rússia de, após a anexação da Crimeia, tentar implementar um plano de desmembramento do país, apoiando grupos pró-russos nas principais cidades do Leste ucraniano e colocando tropas perto da fronteira entre os dois países.

Tags: CONFLITO, crise, política, protesto, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.