Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Internacional

Justiça do Egito nega troca de juízes em processo contra Morsi

Agência ANSA

A Corte de Apelo do Cairo recusou o pedido de troca de juízes feito pela defesa do presidente deposto do Egito, Mohamed Morsi, e de alguns dirigentes da Irmandade Muçulmana, no processo em que eles respondem por espionagem e por uma fuga da prisão de Wadi el Natroun em meio à Primavera Árabe de 2011.    

Além desse caso, o ex-mandatário egípcio, derrubado pelas Forças Armadas em julho de 2013, é acusado de incitação à violência contra manifestantes que protestavam em frente ao palácio presidencial em dezembro de 2012. Na ocasião, pelo menos duas pessoas morreram.    

Enquanto isso, outro tribunal do Cairo condenou 18 apoiadores de Morsi por terem participado de uma manifestação não autorizada no norte da capital em julho do ano passado. As penas impostas vão de três a sete anos de reclusão.    

O julgamento faz parte da ofensiva promovida pela Justiça egípcia contra a Irmandade Muçulmana, que no final do ano passado foi colocada na ilegalidade no país. No fim de março, uma corte de Minya sentenciou à morte 529 membros do grupo islâmico. Os réus foram acusados de desordem pública, de fazerem parte de uma organização terrorista e de serem responsáveis pela morte de dois policiais em agosto de 2013. 

Tags: cairo, ex-presidente, irmandade, julgamento, Tribunal

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.