Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Internacional

Genocídio é vergonha para ONU, diz Ban Ki-moon

Agência ANSA

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon declarou que, 20 anos após o genocídio em Ruanda, "a vergonha" da ONU por não ter ajudado a impedir o massacre não foi esquecida.    

Ele afirmou que a entidade "poderia ter feito mais e deveríamos ter feito mais. As forças de paz foram retiradas de Ruanda no momento em que havia mais necessidade. No espaço de uma geração, a vergonha não foi cancelada". Na metade do mês de abril de 1994, a ONU tirou a maior parte dos seus representantes (cerca de 2,5 mil pessoas), no pior momento dos massacres iniciados no dia 7 de abril, logo após o abatimento do avião em que viajava o presidente Hutu, Juvenal Habyarimana. 

Ban ainda relembrou que, um ano após assassinato em massa no país, houve outro massacre em uma área de proteção da ONU na Bósnia. Ele lembrou que também houve um "silêncio da comunidade internacional no momento em que mais se precisava dela". O genocídio em Ruanda foi uma das piores tragédias do século XX.    

O saldo oficial é de mais de 800 mil mortos em três meses, o equivalente a 13% da população do país, sendo a maioria da etnia tutsi (90% dos mortos).

Tags: massacre, médicos, ONG, POPULAÇÃO, ruanda

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.