Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Internacional

Ucrânia: ordem de abrir fogo contra manifestantes foi dada por Ianukóvitch

Agência Brasil

O Ministério do Interior da Ucrânia acusou hoje (3) o presidente deposto Viktor Ianukóvitch de ter dado a “ordem criminosa” de abrir fogo contra os manifestantes da Praça Maidan, em fevereiro, quando quase 90 pessoas foram mortas.

O inquérito instaurado pelo atual governo concluiu, por outro lado, que agentes dos serviços secretos russos FSB participaram do ataque aos manifestantes da Praça da Independência, no centro de Kiev, acrescentou.

“Ianukovich deu a ordem criminosa de abrir fogo contra os manifestantes entre 18 e 20 de fevereiro”, disse o ministro do Interior ucraniano, Arsen Avakov, à imprensa.

“Agentes do FSB participaram do planejamento e da implementação da chamada operação antiterrorista”, acrescentou, repetindo informações dadas pouco antes pelo chefe dos Serviços de Segurança ucranianos, Valentin Nalivaichenko, em entrevista para apresentação dos resultados preliminares do inquérito.

Após três meses de protestos em massa contra o governo de Ianukóvitch, considerado pró-russo, as forças de segurança abriram fogo contra os manifestantes no período de 18 a 20 de fevereiro, matando cerca de 100 pessoas e levando, dois dias depois, à destituição do presidente pelo Parlamento.

Quase 20 pessoas, a maioria manifestantes, foram mortas a tiro na noite de 18 para 19 de fevereiro em Kiev. No dia 20, mais de 60 pessoas morreram nos confrontos que começaram de manhã e se prolongaram até o fim da tarde.

A Rússia acusou forças ultranacionalistas de abrir fogo contra a polícia para desencadear confrontos que pudessem imputar a Ianukóvitch.

Tags: CONFLITO, crise, política, protesto, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.