Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Internacional

Yanukovich pede referendo em regiões ucranianas

Agência ANSA

O ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovich, deposto após uma onda de protestos, afirmou nesta sexta-feira (28) que é preciso realizar um referendo em todo o país para preservar a união. "É necessário um referendo em todas as regiões da Ucrânia para definir o estatuto de cada região do país", disse Yanukovich, segundo a agência de notícias Itar-Tass.

O ex-mandatário também pediu para que o "Partido das Regiões" tire seu status de presidente honorário da legenda. A aliança já anunciou que se reorganizará devido à queda de Yanukovich e que amanhã se reunirá para decidir como participará das eleições presidenciais ucranianas marcadas para 25 de maio.

O ex-presidente está refugiado na Rússia desde sua deposição, em 22 de fevereiro. Nesta sexta-feira, o Ministério russo das Relações Exteriores afirmou que a resolução das Nações Unidas que critica o referendo de anexação da Crimeia é "uma iniciativa contraproducente". Segundo o Ministério, o documento, aprovado ontem, "não faz mais do que complicar a solução da crise política na Ucrânia".

Logo após a destituição de Yanukovich, a Crimeia realizou um referendo local que aprovou sua anexação à Rússia. A mudança no território ucraniano, porém, tem sido criticada pelas potências ocidentais por não ter cumprido a Constituição da Ucrânia.

Também hoje, o jornal "The Wall Street Journal" publicou que há quase 50 mil soldados russos nas regiões fronteiriças com a Ucrânia, segundo estimativas de funcionários do governo dos Estados Unidos. O periódico afirmou ainda que Moscou "está pronta para uma ofensiva de grande escala".

Em resposta, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, lançou uma advertência a Moscou, pedindo que as tropas sejam retiradas. O governo russo, por sua vez, negou que esteja mantendo soldados na fronteira. 

Tags: capital, crise, mortes, política, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.