Jornal do Brasil

Sábado, 22 de Novembro de 2014

Internacional

EUA e União Europeia apóiam Ucrânia, diz Obama

Presidente dos EUA está na Holanda para cúpula contra crise

Agência ANSA

O presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou nesta segunda-feira (24) que os Estados Unidos (EUA) estão juntos à União Europeia (UE) no apoio ao governo da Ucrânia.

Obama deu a declaração ao chegar na Holanda em uma conferência de imprensa junto com o primeiro-ministro holandês Mark Rutte, no Rijksmueum de Amsterdã.

As sanções que os EUA e a Europa irão impor "terão um impacto na economia da Rússia", afirmou ele que acrescentou que as sanções serão acertadas com os "parceiros europeus".

Cúpula

Começa hoje em Haia a Cúpula de Segurança Nuclear que deve contar com a presença de mais de 50 líderes mundiais para discutir formas de evitar ataques nucleares, mas que pode ter como tema central a crise na Ucrânia.

À margem da reunião, e por iniciativa de Obama, os líderes do grupo do G7, os sete países mais industrializados do mundo, (Alemanha, Estados Unidos, Canadá, França, Itália e Japão) vão se reunir para discutir sanções adicionais contra a Rússia pela anexação da Crimeia.

A reunião do G8 (os países citados acima mais à Rússia) deveria acontecer em Sóchi mas foi cancelada após a suspensão da Rússia do bloco e foi marcada, por sugestão de Obama, para ser realizada em Haia, na Holanda.

Rússia

As tropas russas tomaram hoje o controle de uma base naval da Marinha da Ucrânia em Feodosia, na Crimeia, uma das poucas estruturas militares ainda sob bandeira ucraniana depois da anexação à Rússia, informou o porta-voz da Defesa da Ucrânia, Vladislav Seleznyov.

Fontes da Defesa russa afirmam que a bandeira de Moscou foi hasteada em 189 unidades e estruturas ucranianas na Crimeia.

Por sua vez, a Ucrânia decidiu retirar as próprias tropas da Cirmeia, informou a agência de notícias Unian citando o Conselho de Segurança nacional de Kiev.

O presidente ucraniano interino Oleksandr Turcinov, afirmou que as forças armadas de seu país estão "prontas a defender o solo ucraniano de forma profissional e adequada".

As ações da Rússia contra as bases da Ucrânia na Crimeia, completando a anexação da península, aumentam o temor de uma guerra entre os dois países.

Otan

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) fez ontem (23) um alerta para uma possível invasão da Ucrânia pela Rússia devido a forte presença de tropas na fronteira com a Crimeia.

A organização teme que a ação militar russa ameace o leste ucraniano e a Transnístria, região d Moldávia na fronteira com a Ucrânia que já declarou a intenção de ser anexada à Rússia.(ANSA)

Tags: CONFLITO, crise, política, protesto, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.