Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Internacional

Kiev e ONU criam comissão para crise na Crimeia

Agência ANSA

O governo da Ucrânia e a Organização das Nações Unidas (ONU) chegaram a um acordo para criar uma comissão internacional para resolver a crise envolvendo a Crimeia. O anuncio foi feito pelo presidente interino do país, Oleksandr Turcinov, após uma reunião com o secretário-geral da entidade, Ban Ki-moon.    

O órgão será presidido pela própria ONU e terá como membros representantes dos Estados Unidos, do Reino Unido e da Rússia, as três nações que assinaram em 1994 o Memorando de Budapeste, no qual se comprometiam a garantir a integridade territorial ucraniana, em troca de Kiev renunciar ao arsenal nuclear herdado da União Soviética. 

"A crise só pode ser resolvida com meios diplomáticos, respeitando o princípio da soberania e da integridade do território da Ucrânia", disse Ban. Já Turcinov voltou a propor que a Crimeia se torne uma área desmilitarizada para que a questão seja solucionada de modo pacífico. "Estamos prontos para dialogar com a Rússia, mas somente após a saída de suas tropas do nosso território", afirmou o presidente interino.    

Contudo, se para os dois líderes a criação da comissão parece ser a melhor maneira de resolver a disputa na península, para os russos essa assunto já está mais do que encerrado. Nesta sexta-feira (21), o presidente Vladimir Putin promulgou o tratado que confirma a anexação da região por Moscou, medida que já tinha sido aprovada pelo Parlamento. A notícia foi recebida com festa na Crimeia e em Sebastopol, cidade que também passa a fazer parte da Federação Russa.    

Pessoas de todas as idades saíram às ruas gritando "Obrigado Rússia", enquanto fogos de artifício coloriam o céu do município, localizado no litoral do Mar Negro.

Tags: capital, crise, mortes, política, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.