Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Internacional

Aumenta tensão com Rússia; UE aprova sanções

Agência ANSA

 Aumenta a tensão entra a Ucrânia e a República Autônoma da Crimeia depois do referendo que, ontem (16), aprovou a adesão à Rússia com 96,77% dos votos. O Parlamento da Crimeia proclamou a independência e pediu ao governo russo para ser anexada à Federação. 

    Ainda nesta segunda-feira (17) o Parlamento anunciou que a moeda oficial da Crimeia é o rublo (moeda russa) e informou que as forças da ordem e os aparatos do Estado permanecem no cargo até à adoção da nova Constituição.

Reação da Ucrânia

Os bens da Ucrânia foram todos nacionalizados, enquanto que o presidente ucraniano interino,Oleksandr Turchynov, assinou um decreto para a "mobilização parcial".

    Já o primeiro-ministro ucraniano interino, Arseniy Yatsenyuk, reafirmou que "a Crimeia é território ucraniano, e lá encontram-se nossos cidadãos. Não haverá reconhecimento deste referendo".

União Europeia

A União Europeia (UE) decidiu nesta segunda-feira (17) adotar sanções contra a Rússia, um dia após a região ucraniana da Crimeia aprovar, em referendo, sua anexação ao território russo, decisão que está sendo fortemente criticada pelo bloco, pelos Estados Unidos e por outros países do Ocidente. Segundo fontes locais, 21 pessoas, entre políticos e militares, foram inseridas em uma lista de "medidas restritivas". Representantes diplomáticos em Bruxelas garantem que, das 21 pessoas, 13 são da Rússia e oito, da Crimeia. Fontes locais também disseram que os chefes de Estado e de Governo europeus irão decidir, juntos, se anularão a Cúpula do G8 programada para ocorrer em junho na cidade russa de Sochi. O G8 é composto pelas sete principais economias do mundo mais a Rússia.

Gorbatchov

O último presidente soviético, Mikhail Gorbatchov, prêmio Nobel da Paz, aprovou o referendo na Crimeia afirmando que "o povo decidiu corrigir um erro" do passado e se posicionou contra as sanções ocidentais, declarando que "a expressão popular não pode servir de motivo para sanções".(ANSA)

Tags: CONFLITO, crise, política, protesto, UCRÂNIA

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • fauzi amim salmem

    Até que enfim o Gorbatchov fez alguma coisa valorosa para o povo russo.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.