Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Internacional

Rota de avião malaio continua desconhecida

China critica informações "caóticas" sobre o caso

Agência ANSA

Continua um mistério o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines com 239 pessoas a bordo. As buscas pelo Boeing 777 já abrangem uma área de 200km a partir do ponto onde as autoridades malaias afirmaram ter perdido contato com a tripulação. Agora, também estão sendo investigadas áreas sobre o mar de Andamão (localizado a oeste da Tailândia, a noroeste de Sumatra e ao sul de Myanmar), divulgou o chefe da aviação civil da Malásia, Azharuddin Abdul Rahman. 

Ele ainda afirmou que "não está excluída a possibilidade de que o avião tenha feito a volta antes de sumir do radar". Mas, desmentiu o fato do Boeing estar "muito longe do seu plano de voo". Diversas emissoras e jornais haviam informado que o avião poderia estar até a mil milhas da rota original, sobrevoando o estreito de Malaca.    

Apesar da negação de Rahmann, o jornal indiano "The Times of India" afirmou que a marinha indiana estaria fazendo buscas no estreito de Malaca. Segundo o jornal, autoridades disseram "que não foi complicado destacar algumas unidades para auxiliar nas buscas e que além dos navios, a Índia autorizou o uso de um dos satélites do país (GSAT-7) para vasculhar uma área que vai do estreito de Malaca até o estreito de Hormuz".    

O governo da Malásia divulgou a última conversa da cabine com a torre de controle. "Tudo bem, boa noite" foram as últimas palavras dos pilotos antes do avião sumir.    

China e Vietnã 

Na manhã desta quarta-feira (12), o Vietnã anunciou que estava suspendendo as buscas ao Boeing 777 por causa das mudanças de informações sobre a rota recebidas pelas autoridades malaias.    "Decidimos suspender temporariamente as atividades de busca pelo recebimento de informações do governo da Malásia", afirmou o vice-ministro dos Transportes do país, Pham Quy Tieu. Ele ainda disse que as buscas no mar prosseguirão, porém em escala bem menor.    

Já a China fez duras críticas ao que considerou de "caos de informações" que vem da Malásia."Para o momento existem muitas informações, muito caóticas, que são difíceis de identificar se são exatas ou não", afirmou o porta-voz do governo chinês, Qin Gang. O ministro do Exterior malaio, Hishammuddin Hussein, rebateu as críticas da China, afirmando que "há confusão de informações se você quiser ver confusão. Faremos tudo que será necessário para encontrar o avião". Hussein ainda descreveu o sumiço do voo como "sem precedentes".    

O voo MH370 da Malaysia Airlines saiu de Kuala Lumpur com destino à Pequim no sábado (08) e desapareceu dos radares cerca de duas horas após a decolagem. O avião tinha 239 pessoas a bordo. 

Tags: . china, avião, malasia, sumiço, vietnã

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.