Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

Internacional

Maduro diz que marchas “da direita não entrarão em Caracas”

Agência Brasil

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nessa terça-feira (11) à noite que enquanto ocorrerem atos de vandalismo no país e a opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD) não aceitar dialogar, as manifestações provenientes do interior não entrarão na capital. "Enquanto houver atos de vandalismo, enquanto o golpe de Estado estiver ativo, enquanto a MUD negar o diálogo, as manifestações da direita não entrarão em Caracas", acrescentou.

Maduro fez a afirmação na estreia do seu novo programa de rádio Em Contato com Maduro, que vai ao ar toda terça-feira pelo Sistema Nacional de Meios Públicos. "Eu não vou deixar entrar, porque não vamos trazer o que há em Chacao [leste] para o centro de Caracas. Eu vou proteger os territórios que estão em paz, com zelo o farei, porque essa marcha de ontem (marcha dos médicos) não estava autorizada", disse.

Nicolás Maduro explicou que há gente “infiltrada” nas marchas da oposição que quer apenas provocar distúrbios e estragos em áreas públicas. "Enquanto o golpe de Estado estiver ativado, enquanto houver vandalismo queimando parte dos territórios governados pela oposição, enquanto a MUD não se sentar [para dialogar], não entram em Caracas e chamem-me do que quiserem, não me importa, tenho o dever de proteger a paz na capital, porque a última vez que entraram, há um mês, destruíram meio centro de Caracas", destacou.

Maduro explicou que o governo venezuelano está reconstruindo parte do patrimônio público destruído em manifestações e lamentou que isso não seja tema para a imprensa. Ele garantiu que para hoje está apenas autorizado um protesto em Caracas e que aqueles que querem violência devem seguir para Chacao.

Há um mês, são registrados diariamente protestos em várias localidades da Venezuela, entre manifestações pacíficas e atos de violência que deixaram pelo menos 22 mortos, centenas de feridos e mais de 1.000 detidos.

A oposição convocou para hoje uma marcha em Caracas, onde esperam contar com milhares de pessoas de várias regiões do interior, para assinalar o primeiro mês da morte de três estudantes durante manifestação que terminou em violência.

Tags: economia, maduro, manifestação, oposição, protesto

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.