Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Internacional

Venezuela expulsa funcionários diplomáticos panamenhos

Agência Brasil

O Ministério de Relações Exteriores da Venezuela (MRE) declarou como "pessoas não bem-vindas" os funcionários da Embaixada do Panamá em Caracas e ordenou que deixem o país nas próximas 48 horas.

"O embaixador, Pedro Roberto Pereira Aerosemena, o ministro conselheiro, Jaime Serrano, o adido diplomático, Maria Salazar de Serrano e o adido Raul Fernando Rolla Font dispõem de 48 horas para sair do território da República Bolivariana da Venezuela, devido ao discurso e ações ingerencistas do seu governo", diz comunicado.

Segundo o MRE, a Venezuela "manifestou à missão diplomática do país centro-americano, a sua condenação pelas ações empreendidas pelas autoridades panamenhas, consideradas como não amigáveis com a Venezuela, assim como uma intromissão nos assuntos políticos internos".

A expulsão ocorre um dia depois de o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciar a ruptura das relações bilaterais diplomáticas e econômicas com o Panamá.

No centro da polêmica, está uma proposta do Panamá para que uma delegação da Organização dos Estados Americanos (OEA) visite a Venezuela para analisar a crise no país, mas Caracas diz que "não solicitou nenhum debate sobre a sua situação" e acusou o presidente panamenho Ricardo Martinelli de conspirar com os Estados Unidos para facilitar uma "intervenção" no país.

Hoje, a representação da Costa Rica na Venezuela anunciou que vai assumir os assuntos consulares do Panamá em território venezuelano.

Segundo a ministra das Relações Exteriores costa-riquenha, Maria Aerosemena, o Panamá pediu aos "países amigos" para assumirem os trâmites consulares e a "Costa Rica assumiu essa função em solidariedade" ao país vizinho.

Tags: Embaixada, expulsão, maduro, panamá, Venezuela

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.