Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

Internacional

Banco Mundial suspende ajuda a Uganda por lei antigay

País aprovou nova legislação que endurece penas a homossexuais

Agência ANSA

O Banco Mundial suspendeu um empréstimo de US$ 90 milhões a Uganda, após o presidente do país africano, Yoweri Museveni, afirmar que os gays são "nojentos" e aprovar uma nova legislação que endurece penas contra homossexuais. A verba seria usada para reforçar o sistema de assistência sanitária de Uganda. A decisão do Banco Mundial segue as medidas adotadas também por países como Dinamarca e Holanda, que suspenderam seus programas de ajuda ao país.

    "O comportamento sexual é uma questão de escolha e os homossexuais são nojentos", afirmou Museveni. "Ser homossexual não é natural, não é um direito humano", disse o mandatário de Uganda, após assinar uma lei que estabelece pena de até 14 anos para gays e prevê prisão perpétua para reincidentes. Os cidadãos também poder ser punidos por não denunciarem pessoas suspeitas de serem homossexuais. (ANSA)

Tags: áfrica, direito, gay, legislação, lei

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.