Jornal do Brasil

Sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Internacional

Papa faz apelo por paz contra guerras no mundo

Agência ANSA

 O papa Francisco pediu hoje (25) aos cristãos que não se "acostumem" ao escândalo da guerra e destacou as crianças que passam fome nos campos de refugiados.

    Em apelo pela paz e contra qualquer guerra, Francisco destacou as crianças que passam fome nos campos de refugiados enquanto os fabricantes de armas comemoram.

    O Papa fez uma dura critica as guerras e destacou que "quando os corações se distanciam nasce a guerra".

    "Todo dia, nos jornais, encontramos guerras, neste lugar se dividiram em dois, cinco mortos", em outro lugar outras vítimas "e os mortos parecem fazer parte de uma contabilidade cotidiana.

    Estamos acostumados a ler estas coisas. E se nós tivéssemos a paciência de listar todas as guerras que neste momento existem no mundo, com certeza teríamos várias páginas escritas", destacou ele.

    "Parece que o espírito da guerra tomou conta de nós. Realizam-se atos para comemorar o centenário da Grande Guerra, tantos milhões de mortos. E todos escandalizados. Mas hoje é igual. No lugar de uma grande guerra, pequenas guerras por todo lugar, povos divididos. E para garantir o próprio interesse matam, se matam entre eles", afirmou Francisco.

    "De onde vêm as guerras e as brigas que estão no meio de vocês? As guerras, o ódio, a inimizade, não se compram no mercado, estão aqui, no coração", destacou o Papa.

    O Pontífice recordou que quando crianças "nos explicavam [no catecismo] a historia de Caim e Abel, todos nós ficamos escandalizados", não se podia aceitar que uma pessoa matasse o irmão. Hoje porém "muitos milhões se matam entre irmãos, entre eles. Mas estamos acostumados".

    A 1ª Guerra Mundial "nos escandaliza, mas esta grande guerra espalhada um pouco por todo lado, um pouco escondida, não nos escandaliza. E muitos morrem por um pedaço de terra, por uma ambição, por um ódio, por um ciúmes racial", destacou Francisco.

    "E as consequencias? Pensem nas crianças famintas nos campos de refugiados. Pensem nisso, este é o fruto da guerra! E se quiserem pensem as grandes salas, nas festas que fazem aqueles que são os donos das indústrias de armas, que fabricam as armas.

    As armas que acabam lá. A criança doente, faminta, um campo de refugiados e as grandes festas, a boa vida que têm aqueles que fabricam armas", disse ele.

    Francisco recordou que "este espírito de guerra, que nos afasta de Deus, não está longe de nós está também na nossa casa.

    Quantas famílias foram destruídas porque o pai, a mãe não são capazes de encontrar o caminho da paz e preferem a guerra, a guerra destrói!".

    "Eu vos proponho hoje de rezarem pela paz, por aquela paz que parece que tenha se tornado apenas uma palavra, nada mais. Para que esta palavra tenha a capacidade de agir, devemos seguir o exemplo do Apóstolo Jacó: 'Reconheçam a sua miséria!'", afirmou o Papa. 

Tags: católico, Francisco, igreja, papa, pontífice

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.