Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Julho de 2014

Internacional

Dilma Rousseff defende diálogo na Venezuela

Agência ANSA

A presidente Dilma Rousseff defendeu o diálogo como solução para o conflito deflagrado recentemente na Venezuela entre chavistas e oposição, que já deixaram 13 mortos até o momento, segundo números oficiais.    

"Em qualquer situação, é muito melhor o diálogo, o consenso e a construção democrática", disse, acrescentando que, no Brasil, existe o apoio a democracia. Ela ainda advertiu que, caso seja registrado um Golpe de Estado, devem ser aplicadas as mesmas sanções sofridas pelo Paraguai quando o ex-presidente Fernando Lugo foi deposto, em 2012, quando Assunção foi afastada do Mercosul e da Unasul.    

Barricadas de lixo em chamas impediam a passagem de veículos em diversos pontos de Caracas e de seus arredores nesta segunda-feira. Lilian Tintori, esposa do líder opositor Leopoldo López, preso recentemente, disse hoje que não tem medo e que não descansará até que seu marido seja libertado. Ela ainda convocou uma marcha na próxima quarta-feira, dia 26, até a sede da Guarda Nacional Bolivariana.    

O chefe de gabinete de Governo argentino, Jorge Capitanich, desmentiu hoje que as filhas do líder morto no ano passado Hugo Chávez tenham viajado a Argentina por conta dos protestos.

Tags: Caracas, crise, maduro, política, ruas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.