Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Setembro de 2014

Internacional

Governo venezuelano restitui credenciais da CNN

Permissões tinham sido revogadas após críticas de Nicolás Maduro

Agência ANSA

O Ministério de Comunicação e Informação da Venezuela restituiu as credenciais da equipe da rede norte-americana CNN, que tinham sido revogadas após o presidente Nicolás Maduro acusar o canal de fazer "propaganda de guerra" em sua cobertura dos protestos antichavismo no país.   

 A confirmação foi dada pelo correspondente em espanhol da emissora em Caracas, Osmary Hernandez. Em sua conta no Twitter, o jornalista contou que as permissões foram novamente liberadas depois da coletiva do mandatário na última sexta-feira (21), quando ele respondeu uma pergunta feita por um repórter da CNN.   

 A Venezuela tem convivido nos últimos dias com grandes protestos antigoverno convocados pelo líder de oposição Leopoldo López. Contando com grande presença de estudantes, as manifestações contra Maduro ganharam ainda mais força após a prisão do opositor. Em contrapartida, apoiadores do chavismo também se reuniram em solidariedade ao regime.    Segundo números oficiais, pelo menos oito pessoas morreram e outras 137 ficaram feridas durante os atos até o momento. 

Entre as vítimas fatais está a miss Génesis Carmona, de 21 anos, baleada na cabeça. Cuba Aliado do presidente venezuelano, o mandatário cubano, Raúl Castro, acusou os "círculos de poder dos Estados Unidos e alguns de seus aliados europeus" pela violência na nação latino-americana e também na Ucrânia. Segundo o irmão de Fidel, eles estão usando "novos e sutis métodos de desgaste para quebrar a paz nos dois países".    "Agora usam métodos mascarados, sem renunciar à violência, para quebrar a paz e a ordem interna e impedir os governos de concentrar-se na luta pelo desenvolvimento econômico e social", declarou Raúl. 

Tags: cnn;, comunicacao;, imprensa, maduro;, venezuela;

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.