Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Internacional

Renzi aumenta espaço das mulheres no governo italiano

Agência ANSA

Um Ministério dividido. É isso o que propõe o primeiro-ministro encarregado Matteo Renzi ao apresentar o novo governo da Itália. Mas é uma divisão diferente, e inédita. Pela primeira vez na história do país, as pastas serão repartidas igualmente entre homens e mulheres.    

As principais dúvidas giravam em torno dos candidatos a ministro da Economia e do Interior. Os cargos serão ocupados por Pier Carlo Padoan, vice-secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e Angelino Alfano, líder do partido Nova Centro-Direita (NCD), respectivamente.    

Dos 16 ministérios, oito serão comandados pelo centro-esquerdista Partido Democrático (PD), ao qual pertence Renzi. Três ficarão na mão do NCD, um com o Escolha Cívica (SC, na sigla em italiano), de centro, um com a União Democrata-Cristã e de Centro (UDC), e outros três com independentes. "A equipe é muito boa. O NCD não poderia pedir ou desejar mais", escreveu Alfano em seu perfil no Twitter.    

O gabinete formado pelo ex-prefeito de Florença também é marcado pela juventude. A idade média dos ministros é de 47 anos e seis meses. Para efeito de comparação, os Executivos chefiados pelos seus antecessores Enrico Letta e Mario Monti tinham média de 53 e 64 anos.    

O próprio Renzi, que será o premier mais novo da Itália, tem apenas 39 anos. Mas a pessoa mais jovem do governo apresentado nesta sexta-feira (21) é Maria Elena Boschi (Reformas e Relações com o Parlamento), de 33 anos.    

Confira abaixa a lista completa de ministros:

Economia - Pier Carlo Padoan

Interior - Angelino Alfano (NCD)

Relações Exteriores - Federica Mogherini (PD)

Justiça - Andrea Orlando (PD)

Defesa - Roberta Pinotti (PD)

Desenvolvimento Econômico - Federica Guidi

Infraestrutura e Transportes - Maurizio Lupi (NCD)

Saúde - Beatrice Lorenzin (NCD)

Políticas Agrícolas - Maurizio Martina (PD)

Ambiente - Gianluca Galletti (UDC)

Trabalho e Políticas Sociais - Giuliano Poletti

Educação - Stefania Giannini (SC)

Bens e Atividades Culturais - Dario Franceschini (PD)

Reformas e Relações com o Parlamento - Maria Elena Boschi (PD)

Administração Pública - Marianna Madia (PD)

Assuntos Regionais - Maria Carmela Lanzetta (PD)

Tags: crise, italiana, política, primeiro-ministro, Renuncia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.