Jornal do Brasil

Quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Internacional

Parlamento ucraniano aprova lei para libertar Tymoshenko

A ex-premier da Ucrânia está presa desde 2011 por abuso de poder

Agência ANSA

Com 310 votos a favor e 54 contra o Parlamento da Ucrânia aprovou uma lei que pode abrir caminho para a libertação da líder opositora Yulia Tymoshenko, presa há mais de dois anos. Segundo a agência Interfax, o projeto descriminaliza o delito de abuso de poder pelo qual a ex-premier foi condenada a sete anos de cadeia em outubro de 2011, em um processo tido como político por muitos observadores. Após a votação, os deputados da oposição começaram a gritar "Yulia livre! Yulia livre!".    

Pertencente ao partido Pátria, Tymoshenko foi primeira-ministra por duas vezes, entre janeiro e setembro de 2005 e de dezembro de 2007 a março de 2010. Ela está internada em estado de detenção em um hospital de Kharkov, onde se recupera de uma hérnia de disco desde maio de 2012. 

A opositora foi condenada após ser acusada de assinar acordos para a compra de gás russo que teriam provocado prejuízos ao seu país. A ex-premier diz que a sentença é fruto de uma perseguição por parte do presidente Viktor Yanukovich.    

Além de ver o caminho livre para a libertação de sua rival, o mandatário sofreu outras duas derrotas nesta sexta-feira (21). Na primeira delas, 28 deputados do seu Partido das Regiões decidiram abandonar a maioria do governo. Na segunda, a Rússia, sua principal aliada, anunciou a suspensão da ajuda financeira à Ucrânia. 

Em entrevista à Bloomberg, o ministro das Finanças russo, Anton Siluanov, afirmou que existe o temor de que "a quantia não seja restituída". A soma em questão seria de US$ 2 bilhões (R$ 4,7 bilhões) e faz parte de um pacote de US$ 15 bilhões (R$ 35 bilhões) destinado à compra de títulos da dívida pública ucraniana.

Tags: capital, crise, mortes, política, UCRÂNIA

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.